Schumacher vai jogar na Vila Belmiro

Um encontro que será inesquecível para a dupla Diego e Robinho: na quarta-feira, eles baterão bola com o piloto alemão Michael Schumacher, da Ferrari, na Vila Belmiro. Os detalhes deste encontro ainda não estão definidos pela diretoria do Santos, mas os dois jovens atletas, ao serem consultados, aceitaram a proposta de imediato, sem esconder o entusiasmo de conhecer de perto o maior piloto da atualidade. O que está descartada é a visita de Schumacher, que estará no Brasil para o Grande Prêmio de Fórmula-1, na hora do treino no CT Rei Pelé, pois prejudicaria os trabalhos. ?Vai ser bom porque assim ele (Schumacher) ensina o Diego a dirigir?, disse Robinho, se referindo ao fato de o meia ter completado recentemente 18 anos e estar começando adirigir. Diego disse que ?será uma honra bater uma bola com Schumaccher?. Mas disse que gostaria também de conhecer Rubinho Barrichelo. ?Seria legal se ele pudesse vir também.? Os jogadores do Santos retomam esta tarde os treinamentos preparando-se para a estréia no Campeonato Brasileiro, domingo, contra o Paraná, na Vila Belmiro. Para esta partida, Leão terá seu time completo. Satisfeito com o desempenho na Copa Libertadores, o treinador está alertando seus jogadores para a diferença de nivel técnico entre as duas competições e para as dificuldades que terão de superar no campeonato nacional. O que mais entusiasma Leão é o índice de aproveitamento de seu ataque, com 15 gols marcados nas cinco partidas disputadas na Libertadores. ?Não é à toa que temos o melhor ataque da competição", disse ele, salientando que ?mesmo com a partida definida o time não se acomodou em momento algum e sempre partiu para o ataque em busca de mais gols." Ricardo Oliveira é o artilheiro da competição, com cinco gols marcados e apenas três atrás de Pelé, o jogador que marcou mais gols na Libertadores pelo Santos. ?O importante é ser campeão, mas se isso acontecer e se eu for o artilheiro, melhor ainda." O atacante está satisfeito com seu desempenho, mas destaca o trabalho do grupo. ?Mesmo estando na ponta da artilharia, é preciso dizer que o time não depende só de meus gols e todos estão marcando, até mesmo os jogadores de defesa." O meia Diego também ressalta o trabalho do grupo. ?O Santos é um time que apresenta jogadas individuais, mas elas sempre acabam resultando em um esforço coletivo, já que temos um time coeso e que joga em conjunto." Essa, em sua opinião, é a maior razão do sucesso da equipe e espera que o bom futebol apresentado na Libertadores seja repetido no Brasileiro. ?Será uma competição longa e difícil, mas o time já está reencontrando aquele futebol que o levou a conquistar o título do Brasileiro no ano passado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.