Scolari usa cautela com jogadores

O estilo "durão?? de Luiz Felipe Scolari parece coisa do passado. Ele vem surpreendendo na seleção pelo tom amistoso com os jogadores e colegas da comissão técnica. No primeiro treino de campo desde a demissão de Emerson Leão, Scolari demonstrou extrema cordialidade. Fez o papel de um anfitrião preocupado com o bem-estar de todos. Até mesmo na hora de chamar a atenção de algum jogador, para corrigir erros de marcação ou exigir mais apuro nos passes, mostrou-se gentil e cauteloso. "Fábio, capriche mais, você não deu um tiro de meta para o Juninho, olhe que ele é baixinho??, disse, ao reclamar do volante Fábio Rochemback, que lançou a bola muito alta para Juninho Paulista.O cuidado com as palavras e seu ritmo cadenciado destacaram-se nas primeiras 48 horas de comando da equipe, na Granja Comary. "Pode dar uma respirada, gente; pode parar agora e tomar uma água??, disse, num dos intervalos do treino da manhã desta terças-feira. Mais tarde, brincou com Alex e Juninho ao entregar-lhes colete. Puxou Romário pelo braço para uma conversa num canto do campo e também arrancou um sorriso do atacante.Aos poucos, Scolari vem conquistando a simpatia do grupo. Mais do que isso, tem-se preocupado até em não desapontar parte da imprensa quando as perguntas são despropositais. Nesta terça-feira, por exemplo, queriam saber dele se Romário tinha vaga assegurada na "defesa?? da seleção. Calmamente, explicou que não havia definido os titulares e fingiu, certamente por educação, não ter ouvido a "nova?? posição do atacante.Em seguida, Felipão justificou por que escolheu os horários de 8h30 e 15 horas para os treinos na Granja Comary. "É que depois vem a serração e eu não tenho como marcar audiência com Deus e pedir que a névoa chegue mais tarde.??

Agencia Estado,

19 de junho de 2001 | 19h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.