Se for à Libertadores, Palmeiras terá de segurar Valdivia

'Toda semana um empresário de clube europeu liga pedindo informações dele' conta o diretor Genaro Marino

Juliano Costa, do Estadão,

21 de outubro de 2007 | 15h22

Gilberto Cipullo, o homem forte do Departamento de Futebol do Palmeiras, já admitiu que "não existe ninguém inegociável" e que pelo menos um jogador pode deixar o clube em dezembro, para equilibrar as receitas - as dívidas de curto e médio prazo ainda chegam a R$ 20 milhões. Veja também: Classificação do Brasileirão Crônica do jogo: Palmeiras 3 x 0 Paraná Com ou sem a vaga na Libertadores, o maior desafio será segurar Valdivia. O contrato dele vai até 2011, "mas toda semana um empresário de clube europeu liga pedindo informações", diz Genaro Marino, diretor de futebol. O Valencia, da Espanha, é um dos interessados, e destacou um agente para conversar com outro diretor, Savério Orlandi, durante a passagem do time de juniores do Palmeiras pela Espanha, em agosto. "Foi uma conversa interessante, mas nada foi fechado", disse Savério. Outros jogadores têm mercado na Europa, como o goleiro Diego Cavalieri, o zagueiro David e os volantes Pierre e Makelele. A diretoria já recebeu sondagem por todos eles. E todos contam com bons reservas no grupo. Para manter a base do time, a diretoria busca outras fontes de receita. O projeto dos sócios remidos, que atraiu só 80 interessados, foi "turbinado" recentemente. E uma nova Cesta de Atletas, desta vez com o aval da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), já está sendo montada.

Tudo o que sabemos sobre:
Palmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.