Kai Pfaffenbach/Reuters
Kai Pfaffenbach/Reuters

'Se você não sofrer, não vai ganhar uma competição como a Liga', diz Zidane

Técnico elogia concentração do Real Madrid no empate com o Bayern que deu a classificação à final

Estadao Conteudo

01 Maio 2018 | 20h26

Logo após a dramática classificação do Real Madrid à terceira final consecutiva da Liga dos Campeões, com o empate por 2 a 2 diante do Bayern de Munique nesta terça-feira, em Madri, o técnico francês Zinedine Zidane afirmou que não se ganha um campeonato dessa envergadura se não houver sofrimento.

TEMPO REAL: Real Madrid x Bayern de Munique

Mais notícias da Liga dos Campeões

"Pede o VAR, Bayern": Mão na bola de Marcelo faz internet reclamar do Real

"Agora sim podemos estar muito felizes - ainda que seja sofrendo como sofremos hoje (terça-feira). Muito. Se você não sofrer, não vai ganhar uma competição como a Liga dos Campeões. Mas também é que há de bonito. No final, foi um pouco complicado, mas temos que ficar tranquilos. Isso é o futebol e assim são as emoções. Quando tudo acaba bem, é melhor", destacou o francês, em entrevista coletiva no estádio Santiago Bernabéu.

O lateral-esquerdo Marcelo concordou com o técnico. "Nós trabalhamos e sofremos muito para alcançar nosso objetivo. Foi um jogo muito difícil, mas estamos em outra final. Havia muita tensão no caso de eles marcarem e sofremos com muito trabalho, sabendo o que estávamos fazendo", avaliou o brasileiro.

Zidane apontou o atacante francês Karim Benzema, autor dos dois gols, e o goleiro costa-riquenho Keylor Navas, com boas defesas principalmente no segundo tempo, como os protagonistas da conquista da vaga. "Como sempre, me alegro por Karim porque ele merece. Ele esperava por isso, por marcar gols. Fez dois hoje (terça-feira) e nos ajudou a passar de fase. Ele nunca deixou de trabalhar, nunca baixou a cabeça. Fez a diferença hoje", disse o comandante da equipe espanhola sobre o matador.

"Estamos felizes com Keylor. Os jogadores crescem em partidas assim, partidas grandes. No jogo de hoje, a primeira parte foi complicada; na segunda, ele nos ajudou com suas grandes defesas. Nos cruzamentos deles, ele nos ajudou contra jogadores enormes", completou Zidane acerca da atuação do camisa 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.