Secretário da Fifa agora reprova até estádios da Europa

Depois da polêmica com o Morumbi, Jerome Valcke criticou arenas na Holanda, Bélgica, Espanha e Portugal

AE-AP, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 13h15

Depois de fazer duras críticas ao Morumbi, estádio que considera despreparado e com projeto de reforma insuficiente hoje para receber jogos de grande porte da Copa do Mundo de 2014, o secretário geral da Fifa, Jerome Valcke, agora resolveu criticar a situação dos estádios europeus que poderão abrigar partidas do Mundial de 2018 ou de 2022.

Veja também:

link Fifa e polícias prometem coibir ingressos falsos

especialMapa - Os países que já garantiram vaga na Copa

Eliminatórias da Copa - tabela Classificação | lista Tabela 

especial ELIMINATÓRIAS - Mais no canal especial

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

O dirigente da Fifa reprovou a situação dos estádios ao comentar os países da Europa que já se candidatam a ganhar a disputa para ser sede de uma das duas Copas do Mundo subsequentes ao Mundial que será disputado no Brasil em 2014. Inglaterra, Rússia, Espanha/Portugal e Holanda/Bélgica, estes quatro últimos países em possíveis candidaturas conjuntas, já manifestaram interesse em receber a Copa de 2018 ou a de 2022.

"Nenhuma dessas (nações) têm o que poderíamos chamar de um estádio de Copa do Mundo, exceto talvez a Inglaterra com o Estádio de Wembley", afirmou Valcke. "A maioria dos estádios precisam melhorar", acrescentou.

Até estádios como o Camp Nou, do Barcelona, teriam de ser modificados na opinião de Valcke. "É um estádio bonito, mas como estacionar numerosos caminhões de televisão ao seu redor?", questionou. O dirigente ainda enfatizou que a falta de espaço em volta dos estádios é "o principal problema" que os palcos do futebol europeu têm hoje.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFifaCopa do MundoJerome Valcke

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.