Divulgação/Avaí
Divulgação/Avaí

Secretário de Saúde nega jogos em Florianópolis em julho: 'Só no fim de agosto'

Com a decisão, Avaí e Figueirense não vão atuar na capital durante o Campeonato Catarinense

Redação, Estadão Conteúdo

22 de junho de 2020 | 11h50

O secretário de Saúde da Capital, Carlos Alberto Justo da Silva, negou nesta segunda-feira qualquer possibilidade de liberar a realização de partidas de futebol em Florianópolis nos próximos dias. O pronunciamento acabou com a euforia de Avaí e Figueirense em conseguir disputar os jogos do Campeonato Catarinense na capital. Eles estão estudando a possibilidade de jogar em Palhoça, na região metropolitana de Florianópolis.

"Nós estamos dois meses atrasados em relação a quando começou a pandemia na Europa e já querem liberar tudo aqui, futebol, eventos, shows. Vamos aguentar até o final de agosto, gente! Eu irei recomendar as restrições ao prefeito nesta segunda-feira", disse o secretário.

A decisão por parte da prefeitura de Florianópolis vai na contramão da Federação Catarinense de Futebol (FCF), que marcou o reinício do Estadual para o dia 8 de julho. Figueirense e Avaí, por exemplo, não estão podendo nem treinar na capital. Por isso, apostaram as suas fichas na cidade de Palhoça.

Segundo o governo do Estado, os jogos, mesmo sem torcida, estão proibidos até o dia 5 de julho. A partir desta data, caso não haja nova regra de flexibilização, as próprias prefeituras poderão decidir sobre a situação. No entanto, a expectativa, agora, é que Florianópolis não ceda à pressão dos clubes. Até este fim de semana, o Estado de Santa Catarina tem 17.582 casos do novo coronavírus, tendo 246 mortes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.