Divulgação
Divulgação

Sede da final da Copa do Mundo de 2018 ficará 16% mais cara

Desvalorização da moeda russa faz preços do material disparar e investimento aumenta em cerca de R$ 135 milhões

Estadão Conteúdo

20 de dezembro de 2014 | 16h05

A queda do rublo fez com que o palco da decisão da Copa do Mundo de 2018, na Rússia, se tornasse mais cara. Por causa da desvalorização da moeda local, que neste ano perdeu praticamente metade de seu valor em comparação ao dólar, o estádio Luzhniki, de Moscou, custará cerca de 16% a mais do que o esperado inicialmente.

A desvalorização fez o preço da importação de materiais de construção aumentar, de modo a rever todos os cálculos das obras. Será preciso gastar cerca de 3 milhões de rublos (aproximadamente R$ 135 milhões) a mais, em adição aos 19 milhões de rublos previstos no planejamento inicial. A informação foi confirmada pelo vice-prefeito de Moscou, Marat Khusnulllin.

A Rússia importará entre 20% e 30% do material para construir o estádio e Khusnulllin descartou a possibilidade de utilizar material de segunda mão para diminuir o custo. "Usaremos o melhor", garantiu. As obras do estádio, que terá capacidade para 81 mil torcedores, estão adiantadas em dois meses e podem ser finalizadas até seis meses antes do previsto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.