Satiro Sodré/Divulgação
Satiro Sodré/Divulgação

Seedorf diz que sofre perseguição da arbitragem no Brasileirão

Principal jogador do Botafogo, o holandês reclama que os árbitro não marcam faltas que ele sofre

SILVIO BARSETTI, Agência Estado

17 de setembro de 2013 | 19h25

RIO - Na véspera do jogo mais aguardado das últimas rodadas do Brasileirão - entre Cruzeiro e Botafogo, nesta quarta-feira, às 21h50, no Mineirão, em Belo Horizonte -, o meia holandês Seedorf afirmou que sofre perseguição dos árbitros na competição. Principal jogador botafoguense, ele elevou o tom ao falar que isso pode prejudicar o clube carioca na luta pelo título e disse não entender o motivo pelo qual tem recebido vários cartões amarelos e faltas ignoradas pela arbitragem.

O veterano astro de 37 anos demonstrou muita irritação e falou com contundência. "Todo jogo estou falando com eles (os árbitros), perguntando ''Por que isso?'' e não estou entendendo. Se eu não pular ou me proteger, fica complicado. Os outros jogadores estão vendo que não marcam falta e eles vêm com tudo. Eles sabem que é o Seedorf que está lá e não vão apitar. Não é um arbitro só, são todos", reclamou o meia do Botafogo.

Para Seedorf, não há nenhuma explicação razoável para o que ele considera uma perseguição. "Eu não consigo nem reclamar, eles (árbitros) me olham de uma maneira que se eu falo alguma coisa eles já sacam o cartão. Então eu fico quieto e tomando pancada, o que tira o valor do meu jogo. Se não mudar, eu vou ter que cair, como gostam aqui. Cair, pedir cartão", afirmou o jogador.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogoSeedorf

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.