Segunda mulher processa meia iraniano Mahdavikia

Em mais um capítulo do duplo casamento do jogador da seleção iraniana, Mehdi Mahdavikia, o caso agora foi parar na Justiça alemã. Samira, a segunda mulher do jogador, entrou com um processo na Promotoria de Hamburgo contra o meia pedindo que ele pague uma pensão para o bebê que vai nascer e o reconhecimento da paternidade, além de uma ajuda financeira, segundo revelou o jornal alemão Bild. "Eu quero o bebê de qualquer jeito. Também não vou me separar. Nosso bebê tem de vir ao mundo legitimamente, mesmo que ele tenha nos ofendido", declarou Samira.A farsa de Mahdavikia começou a ruir no fim de fevereiro, quando no jogo em que o Hamburgo perdeu em casa do Stuttgart, 2 a 0, uma mulher de um outro jogador encontrou Samira na tribuna e disse: "Você não é a senhora Mahdavikia, eu a conheço e não é você". Após o episódio, já na casa em que ambos vivam, a dois quilômetros da primeira mulher do meia, Sepideh, Samira pediu ao jogador que explicasse o ocorrido. Mahdavikia arrumou suas malas e partiu, abandonando Samira, que já está no segundo mês de gravidez. Agora, a especialista em manager para turismo luta pelo apoio financeiro do meia iraniano para o bebê e para ela.Para especialistas em casos deste tipo, a aventura pode sair bem cara para Mahdavikia. Segundo o Bild, calcula-se que o meia tenha um salário anual de cerca de 2,2 milhões de euros. No caso de uma vitória de Samira, ela e o bebê podem receber de 20 mil a 30 mil euros por mês.Samira vai processar também o empresário de Mahdavikia, o iraniano Reza Fazeli, por difamação, assédio e outros delitos não especificados, todos ligados à certidão de casamento do jogador, de 27 de dezembro do ano passado.No documento, Mahdavikia reconhece que não tem nenhuma outra mulher e que já não vive mais com sua mulher, Sepideh, mão de sua única filha, de 7 anos. "A Promotoria deve investigar agora qual conseqüência isso terá para Mehdi Mahdavikia", disse ao Bild a advogada de Samira, Leonore Gottschalk-Solger.

Agencia Estado,

15 de abril de 2006 | 14h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.