Ivan Storti/Santos FC
Ivan Storti/Santos FC

Segundo pior público do Santos em 2019 rende lucro de apenas R$ 61 mil

Vitória sobre o CSA foi conquistada diante de apenas 6.615 torcedores na Vila Belmiro

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2019 | 08h18

A má fase dentro de campo tirou o Santos da briga direta pela liderança do Campeonato Brasileiro e também trouxe efeitos negativos para as finanças do clube. No último domingo, quando derrotou o CSA por 2 a 0, pela 22ª rodada do torneio nacional, quebrando uma sequência de resultados ruins, o time registrou o seu segundo pior público como mandante na temporada e teve lucro de apenas R$ 61 mil, nada perto das rendas milionárias de Flamengo, Palmeiras e Corinthias, por exemplo.

Antes de derrotar o CSA, o Santos havia vencido apenas um dos últimos oito jogos que tinha disputado no Brasileirão. Além disso, acumulava três tropeços consecutivos na Vila, o que provocou o afastamento da sua torcida para o confronto com a equipe alagoana. O time viu seus rivais abrirem frente na tabela.

A partida atraiu apenas 6.615 torcedores ao estádio na Baixada, com arrecadação bruta de R$ 263.080. Como o Santos teve despesas de R$ 157.605,37 naquele dia e dedução de R$ 44.150,00, apenas R$ 61.324,63 entraram, efetivamente, nos cofres do clube. As rendas baixas têm sido um dos maiores problemas do time da Baixada. para melhorar essa condição, o clube tem optado em mandar algumas partidas em São Paulo, no Pacaembu. Mas nem isso tem dado muito certo.

O público contra o CSA só foi maior do que o de outro duelo como mandante pelo Brasileirão, em 9 de junho, quando o Santos derrotou o Atlético-MG por 3 a 1, na Vila. Aquele jogo atraiu 5.794 torcedores, com renda bruta de R$ 199.730 e renda líquida de apenas R$ 5.000,45. Esse jogo foi disputado na sequência da eliminação da equipe nas oitavas de final da Copa do Brasil, coincidentemente também pelo Atlético-MG.

Nenhum desses compromissos no Brasileirão, porém, rendeu prejuízo ao Santos, o que aconteceu em 12 de maio, quando o time bateu o Vasco por 3 a 0 para 11.411 torcedores no Pacaembu. Embora a renda bruta tenha sido superior - R$ 343.555 -, as maiores despesas para abrir o estádio paulistano deixaram o clube no vermelho naquela partida em R$ 19.561,51. Ou seja, o Santos pagou para jogar.

Após superar o CSA, o Santos viajará até o Rio, onde enfrentará o Vasco no próximo sábado, em São Januário, pela 23ª rodada do Brasileirão. Na sequência, o time vai voltar à Vila Belmiro para fazer clássico contra o Palmeiras, em 9 de outubro.

Confira públicos e rendas do Santos como mandante no Brasileirão

  • 02/05 - Santos 2 x 1 Fluminense - 10.564 - R$ 294.075 (R$ 94.788,01)
  • 12/05 - Santos 3 x 0 Vasco - 11.411 - R$ 343.355 (- R$ 19.561,51)
  • 26/05 - Santos 0 x 0 Internacional - 12.756 - R$ 479.440 (R$ 245.969,41)
  • 09/06 - Santos 3 x 1 Atlético-MG - 5.794 - R$ 199.730 (R$ 5.000,45)
  • 12/06 - Santos 1 x 0 Corinthians - 11.831 - R$ 438.955 (R$ 212.558,51)
  • 28/07 - Santos 3 x 1 Avaí - 12.787 - R$ 461.520 (R$ 234.276,99)
  • 04/08 - Santos 6 x 1 Goiás - 13.462 - R$ 510.020 (R$ 284.042,55)
  • 25/08 - Santos 3 x 3 Fortaleza - 12.515 - R$ 434.275 (R$ 227.352,95)
  • 08/09 - Santos 1 x 1 Athletico-PR - 12.589 - R$ 476.930 (R$ 256.422,19)
  • 21/09 - Santos 0 x 3 Grêmio - 10.898 - R$ 476.877 (R$ 251.557,46)
  • 29/09 - Santos 2 x 0 CSA - 6.615 - R$ 263.080 (R$ 61.324,63)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.