Segurança dos estádios da Eurocopa preocupa a Uefa

A Uefa manifestou preocupação nesta quinta-feira com a segurança dos locais que receberão jogos da Eurocopa de 2012, que será realizada na Polônia e na Ucrânia. O chefe de estádios e de segurança da entidade que controla o futebol europeu, Marc Timmer, afirmou que o organismo está acompanhando de perto a construção das arenas da competição "para ter certeza de que as normais mínimas serão cumpridas".

AE-AP, Agência Estado

08 de setembro de 2011 | 15h44

"Em cada estádio, sem exceção, não foram feitas muitas mudanças em nossos pedidos. É claro, isso (a segurança) ainda é uma grande preocupação. Até um estádio que é realmente encomendado, você nunca sabe o que pode acontecer. Eles (organizadores locais da Eurocopa de 2012) podem fazer mudanças", disse Timmer, em entrevista para a Associated Press.

No começo deste ano, a Uefa determinou que o estádio polonês Miejski, em Poznan, que receberá três jogos da competição em 2012, não poderá abrigar mais do que a metade de sua capacidade de espectadores por causa de questões de segurança. Após ser reconstruída, a arena erguida inicialmente com o objetivo de contar com 43 mil pessoas em suas dependências foi reaberta em setembro do ano passado, mas a Uefa encontrou problemas como saídas bloqueadas e erros na numeração dos assentos.

"Nós tivemos numerosos encontros em ambos os países (Polônia e Ucrânia), onde nós abordamos as nossas preocupações", afirmou Timmer, que depois admitiu que houve um conflito com os responsáveis pela reconstrução do estádio de Poznan. "Infelizmente, em Poznan eles não fizeram corretamente, então nós tivemos de falar com eles depois que o estádio foi inaugurado... Foi uma bagunça. Nós colocamos muita pressão sobre eles para melhorar essa situação", acrescentou.

Seis dos oito estádios para a competição que começará em 8 de julho de 2012 foram construídos recentemente. São eles os das cidades de Warsaw, Gdansk e Wroclaw, na Polônia, e os de Kiev, Donetsk e Lviv, na Ucrânia. Assim como a arena de Poznan, a de Kharkiv, em solo ucraniano, também foi reconstruída.

Timmer ainda destacou que o fato de a Eurocopa servir como uma grande oportunidade para empresas do ramo da construção e arquitetos mostrarem o seu trabalho "nem sempre é uma garantia de qualidade" dos estádios que abrigarão a competição. O dirigente da Uefa ainda denunciou que autoridades locais assinaram compromissos sem "realmente inspecionar os estádios". "Isso é realmente um problema", admitiu.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolEurocopa de 2012Uefaestádios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.