Reprodução
Reprodução

Seis dos sete presos na Suíça rejeitam extradição para os EUA

Governo do país não revela o nome do que aceitou ser extraditado

Estadão Conteúdo

27 de maio de 2015 | 13h44

O Ministério da Justiça da Suíça afirmou que seis dos sete dirigentes da Fifa que foram presos na manhã desta quarta-feira, rejeitaram serem extraditados para os Estados Unidos, onde o caso está sendo investigado. O governo suíço, entretanto, não informou qual dos detidos aceitou a extradição.

Pelo que explicou o Ministério, a Suíça vai pedir que os Estados Unidos façam o pedido formal de extradição em um prazo de 40 dias, respeitando o acordo diplomático que vigora entre os dois países.

Numa operação surpresa, policiais suíços prenderam cartolas da Fifa atendendo a um pedido de cooperação judicial dos Estados Unidos. O foco foi a delegação da América Latina e um total de 6 dirigentes da região foram detidos, entre eles o ex-presidente da CBF, José Maria Marin, que é atual vice-presidente da entidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.