Seleção alemã tenta arrumar a sua defesa

Uma das grandes preocupações do técnico Jürgen Klinsmann para a Copa é arrumar a defesa da seleção alemã. Para isso, ele colocou seu auxiliar Joachimm Löw para trabalhar diretamente o posicionamento tático e a saída de bola dos defensores. O problema ficou evidente na vitória da seleção alemã no jogo-treino com o time suíço Servette, por 2 a 1, na terça-feira. ?Cerca de 50% de nossos passes são de lado ou vão para trás. E quando o adversário tem tempo de se organizar defensivamente, aí fica difícil?, disse Löw, ao comentar a saída de jogo dos defensores. Atualmente, os zagueiros alemães estão preocupados apenas em destruir e não em agir de forma construtiva, armando a saída de bola. ?Queremos que a primeira ação seja mais profunda, não apenas um toque de lado ou, em último caso, de volta para o goleiro?, avisou Löw. Segundo o auxiliar de Klinsmann, outros times têm um desempenho padrão na forma de atuação da defesa. Ele cita a Espanha, a Itália e a Holanda, que utilizam a mesma tática defensiva desde as categorias de base até a seleção principal. ?Alguns países estão anos na nossa frente", admitiu. Para Löw, o exemplo a ser seguido é o do Milan dos anos 90, com Baresi, Costacurta, Maldini e Rijkaard. "Cheguei a ver um jogo em que o adversário ficou 35 vezes em impedimento nos primeiros 20 minutos. E depois, os jogadores adversários passavam a bola no vazio porque não sabiam mais para onde jogar?, lembrou. ?Mas, para esta perfeição, precisamos de anos. Temos apenas quatro semanas e meia.?

Agencia Estado,

25 Maio 2006 | 09h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.