Vanderlei Almeida/AFP
Vanderlei Almeida/AFP

Seleção boliviana fica travada na imigração e demora para chegar em Natal

Pouco tempo de treinamento prejudica planejamento boliviano

Ciro Campos, enviado especial a Natal, O Estado de S. Paulo

05 Outubro 2016 | 22h09

A Bolívia pouco teve tempo para treinar nesta quarta-feira em Natal, véspera do confronto com o Brasil pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. O voo fretado que trouxe a equipe saiu de Santa Cruz de la Sierra e levou quase nove horas para chegar porque, por um problema de planejamento, precisou desviar a rota para escala em Brasília, onde ficou mais de três horas parado entre atividades de reabastecimento da aeronave e de imigração.

O técnico argentino Angel Hoyos disse que o contratempo atrapalhou a preparação. "Mudamos a escala de última hora para Brasília, e lá não nos deixaram ficar no avião. Tivemos de sair, fazer imigração e passar por uma situação que não estava planejada. Isso nos atrasou algumas horas. Poderíamos ter vindo com mais tranquilidade", lamentou.

Os jogadores só puderam fazer um treino de apenas 45 minutos na Arena das Dunas, local da partida desta quinta. O problema no voo foi que inicialmente estava prevista uma parada em Goiânia para reabastecimento. Mas como a cidade não é o local de chegada de viagens internacionais, a rota precisou ser desviada para Brasília, onde foi feito o procedimento de imigração.

Hoyos estava preocupado com o pouco tempo para se adaptar ao clima e também com o gramado. "A viagem se alongou mais do que o necessário. O otimismo segue intacto. Os jogadores estão contentes, desfrutando do momento. Temos que nos animar com isso, conhecer o estádio e desfrutar da oportunidade de enfrentar a seleção brasileira", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.