Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Bruno Guimarães se diz à vontade na seleção e vê disputa por vaga como 'final de Copa'

Jogador do Newcastle deve ser titular no amistoso com a Coreia e espera corresponder às expectativas de Tite por um lugar na lista de atletas que vão ao Mundial

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

31 de maio de 2022 | 10h07

Cada vez mais à vontade na seleção brasileira, o meia Bruno Guimarães admitiu nesta terça-feira que a disputa por uma vaga na lista final do técnico Tite já tem clima de "final de Copa do Mundo". A grande decisão para o jogador do Newcastle será o amistoso com a Coreia do Sul, em Seul, nesta quinta, quando terá a oportunidade de ser titular e mostrar serviço ao treinador.

"Trato cada jogo como uma oportunidade única. Desde pequeno eu sempre quis vestir a camisa da seleção. Tendo mais uma oportunidade, quero mostrar o meu melhor. Sei que está na reta final para decidir quem vai para a Copa ou não vai, cada jogo é muito importante. Para mim, apesar de ser amistoso, é como final de Copa do Mundo", declarou o atleta de 24 anos.

A "final" de Bruno Guimarães se deve às ausências de Fabinho e Casemiro nos primeiros treinos da seleção na capital sul-coreana. A dupla se apresentou a Tite somente nesta terça porque estiveram em campo no sábado, na final da Liga dos Campeões. Assim, o treinador compôs o time titular com Bruno e Fred, tendo a companhia de Neymar mais à frente.

Bruno Guimarães já projeta como será a atuação da dupla na contenção, numa equipe que terá um quarteto ofensivo, formado ainda por Lucas Paquetá, Richarlison e Raphinha. "A gente vai tentar quando um for, o outro ficar. Sabemos que são dois segundo volantes de origem, apesar de eu jogar bastante de primeiro volante no Newcastle, também joguei na seleção olímpica. Vai ficar um time bastante móvel, vamos querer ficar bastante com a bola, circular o jogo, fazer a bola chegar no Ney, no Paquetá, nos caras da frente."

Fã de Ronaldinho Gaúcho e dos espanhóis Iniesta e Xavi, Bruno reconhece que a atuação na seleção será diferente da que tem no Newcastle, time que brigou para não ser rebaixado na última edição do Campeonato Inglês. "No Newcastle, minha posição é mais defensiva, diferente da seleção, onde geralmente mantemos a bola."

Ele admite que a mudança para o time inglês, na última temporada, gerou a mesma preocupação porque ele tinha postura mais ofensiva no Lyon, na França. Bruno revelou que a própria transferência mexeu com seu sono e gerou o medo de reduzir suas chances na seleção.

"Foi uma das decisões mais difíceis da minha vida, acho que fiquei uns quatro dias sem dormir. Não vou mentir, tive medo, sim. Ainda mais por o clube estar na zona de rebaixamento. Mas, depois que cheguei lá e fiz meu primeiro treino, a confiança subiu novamente. Depois que comecei a jogar tudo começou a dar certo... A melhor decisão da minha vida foi ter ido para o Newcastle, para a Premier League (Campeonato Inglês), acredito que pode ter sido um diferencial nas minhas convocações também."

A mudança de ares não alterou seu status junto a Tite. Bruno Guimarães já soma seis jogos pela seleção e se diz mais à vontade no grupo. "Nas minhas primeiras duas convocações eu estava nervoso para caramba. Agora me sinto em casa, me sinto feliz, já fico zoando com todo mundo. Depois, quando você se sente em casa, seu futebol melhora. Não à toa, nas últimas três partidas dei três assistências, fiz um gol, isso é bom, é legal", declarou.

O primeiro amistoso da seleção brasileira nesta Data Fifa será disputado às 8h (de Brasília) desta quinta-feira, em Seul. Na segunda, o adversário será o Japão, em Tóquio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.