Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Seleção brasileira chega em clima de tranquilidade em Port Elizabeth

Delegação foi recebida por um pequeno grupo de torcedores que se encontravam na frente do hotel

ALMIR LEITE, Agência Estado

30 de junho de 2010 | 18h51

PORT ELIZABETH - Estava frio nesta quarta-feira, 30, às 22h41 locais (17h41 no horário de Brasília) em Port Elizabeth, quando a seleção brasileira chegou ao hotel em que ficará concentrada nos próximos dias. Mesmo assim, cerca de 100 torcedores, entre eles cinco holandeses, esperaram os jogadores. Quando o ônibus apareceu, eles gritaram e acenaram. Não receberam sequer um aceno de volta. O ônibus parou, todos desceram, entraram no hotel e foram para seus aposentos.

Veja também:

linkSimon revela que japonês apitará jogo do Brasil

linkJuan divide sucesso da defesa com restante da equipe

especial CRONOLOGIA: Copa, dia a dia

tabela TABELA - Jogos | Classificação | Simulador

Mesmo assim, os torcedores, um deles portava até uma sanfona, não perderam o rebolado. Fizeram festa, cantaram o Hino Nacional, garantiram que "o campeão chegou". Estavam confiantes. O atacante Luís Fabiano foi o único que teve o nome gritado.

A "falta de consideração" dos jogadores da seleção brasileira não abalou os torcedores. A paulista Michelle Juni, estudante de jornalismo que há quatro anos mora em Port Elizabeth, defendeu os jogadores. "Eu acho que eles são humildes, ao contrário daquele time de 2006, que tinha muita estrela. E isso é mérito do Dunga", disse, antes de ir embora.

  

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.