Jeon Heon-Kyun/EFE
Jeon Heon-Kyun/EFE

Seleção brasileira enfrenta Coreia e cansaço em amistoso

Em Seul, equipe de Luiz Felipe Scolari encara um time já classificado para Copa do Mundo

O Estado S. Paulo

12 de outubro de 2013 | 00h28

SEUL - Em um dos principais palcos da Copa do Mundo de 2002, o World Cup Stadium, em Seul, a seleção brasileira tentará na manhã deste sábado, às 8h (horário de Brasília), superar a sempre perigosa Coreia do Sul, já classificada para o Mundial de 2014, e o cansaço provocado pela viagem ao outro lado do planeta. Será mais uma boa oportunidade para Luiz Felipe Scolari treinar sua equipe para a Copa.

Entre dar mais horas de voo à equipe que considera titular e testar alternativas, Felipão ficou com a primeira opção. Ele deixou claro na última sexta-feira que sua prioridade é dar mais entrosamento ao time que ganhou a Copa das Confederações, que só não estará completo hoje porque lesões obrigaram o treinador a deixar Julio Cesar, Thiago Silva e Fred fora da convocação. De resto, é a equipe que fez a mais impactante atuação da seleção do Brasil nos últimos anos, os já históricos 3 a 0 sobre a Espanha no Maracanã.

Para mexer o menos possível na formação que considera ideal, Felipão não vai trocar Hulk por Ramires, como havia dado a entender nos primeiros dias de treinos na Coreia do Sul. A utilização do volante do Chelsea como meia aberto pela direita agrada muito ao treinador, mas nem por isso ele colocará no banco o robusto atacante do Zenit São Petersburgo.

"Hulk é mais atacante e Ramires é mais de prender a bola. Taticamente, o Ramires é mais equilibrado, mas ficamos sem uma jogada de mais força. E temos isso com o Hulk", explicou o técnico. "Em princípio, devo sair com a equipe-base da Copa das Confederações. Com o passar do jogo, vou fazer as trocas que acho necessárias. Coisas que eu quero observar nesses dois jogos", falou o gaúcho, referindo-se também à partida contra Zâmbia, na terça-feira, em Pequim, China.

Neymar, a estrela da companhia, teve sua presença no amistoso confirmada ontem. O jogador do Barcelona levou uma pancada no quadril na quinta-feira e a comissão técnica da seleção temeu perdê-lo para o jogo contra os sul-coreanos, mas na véspera do confronto o ex-santista treinou normalmente e estará em campo.

CANSAÇO

Uma coisa que deixou Felipão muito contrariado foi ser obrigado a viajar até a Ásia para disputar os dois amistosos. Ele deixou claro ontem que preferia que as partidas fossem realizadas na Europa, continente onde jogam quase todos os convocados - quem decide onde a seleção joga é a empresa que comprou da CBF os direitos de organizar os amistosos da equipe nacional.

"Gostaríamos de ter jogado na Europa, pois estaríamos a seis, sete horas do Brasil. Estamos falando com as pessoas que comandam esses jogos, principalmente para a empresa que coordena os jogos, para pensar na parte técnica, que é importante", comentou o treinador. Por causa do cansaço causado pela viagem, Felipão não conta muito com uma grande atuação de sua equipe hoje. "O fuso é o maior inimigo. A rotina muda, a forma de jogar muda. A coordenação é afetada."

COREIA DO SUL X BRASIL

COREIA DO SUL - Jung Sung-Yong; Park Joo-Ho, Kwak Tae-Hwi, Hong Jeong-Ho e Kim Chang-Soo; Ki Sung-Yueng, Kim Bo-Kyung, Son Heung-Min e Lee Chung-Yong; Koo Ja-Cheol e Ji Dong-Won. Técnico:Hong Myung-Bo

BRASIL - Jefferson; Daniel Alves, Dante, David Luiz e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho e Oscar; Hulk, Neymar e Jô. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Juiz: não divulgado Local: World Cup Stadium, em Seul Horário: 8h (de Brasília) Na TV: Globo e Sportv

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.