Seleção brasileira está na moda na pequena Königstein

O Brasil está na moda. Em tempo de Copa, a seleção brasileira é referência mundial. E as cores do País podem ser vistas freqüentemente nas ruas das cidades alemãs. São 32 seleções participando da disputa, mas duas bandeiras se destacam nas propagandas e enfeites referentes ao Mundial que estão espalhadas pelos outdoors em todo o país: a da própria dona da casa, a Alemanha, e a do Brasil. Afinal, os brasileiros são pentacampeões, favoritos a ganhar mais um título e apontados como a grande sensação da competição.Em Frankfurt, por exemplo, dois imensos painéis com fotos de Ronaldinho Gaúcho enfeitam a fachada de um shopping. Além disso, os craques brasileiros, reconhecidamente apontados como os melhores do mundo, são personagens de várias campanhas publicitárias expostas nas ruas. Isso tudo numa cidade que irá receber 5 jogos da Copa, mas nenhum deles do Brasil ? pode ter um nas quartas-de-final, se o time de Parreira ficar em primeiro lugar do Grupo F e chegar até essa fase.Já na pequena Königstein, que fica perto de Frankfurt, a overdose de Brasil é ainda maior, pois será nesta cidade que a seleção brasileira irá se hospedar a partir da noite deste domingo, quando desembarca na Alemanha. Depois, no dia 16 de junho, a delegação segue para o Castelo Lerbach, na região de Colônia.Em Königstein, as bandeiras do Brasil chegam até mesmo a ser mais numerosas que as da Alemanha. Nas casas, lojas, restaurantes, pontos de ônibus e ruas, as referências ao Brasil se repetem. Nem Pelé foi esquecido. Há alguns cartazes seus espalhados pelo centro da cidade e uma loja expõe um par de chuteiras usado por ele na Copa de 1970. Como o Brasil está na moda, há muita gente ganhando dinheiro com isso. É o caso da brasileira Flávia Brodtkorb, casada com um norueguês e vivendo há 17 anos na Alemanha. Ela abriu, em Königstein, uma loja com roupas e acessórios com muito verde-e-amarelo, dentro da academia SportPark, onde está o campo de treinamento da seleção brasileira.Flávia quer aproveitar a realização do festival cultural Alemanha-Brasil, na cidade, para montar uma barraca e comercializar seus produtos. ?Lá vou estar no meio dos fãs e torcedores. Acho que vamos vender bastante". Segundo ela, os alemães têm um gosto um pouco diferente dos brasileiros na hora de se vestir, mas o clima de festa em Königstein deve deixar todo mundo de verde-e-amarelo na cidade. ?Aqui, o Brasil está mesmo na moda?, admite Flávia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.