Seleção brasileira joga pela primeira vez no Estádio de La Bombonera

Argentinos só perderam duas vezes no campo do Boca, palco do Superclássico das Américas

Marcio Dolzan, especial para o Estadão, O Estado de S. Paulo

21 de novembro de 2012 | 17h38

SÃO PAULO - Foram precisos 72 anos e um jogo adiado por falta de luz para que o mítico Estádio de La Bombonera, no bairro de La Boca, em Buenos Aires, recebesse um dos maiores clássicos do futebol mundial. Nesta quarta-feira, Brasil e Argentina fazem seu 95º confronto na história na decisão do Superclássico das Américas, mas este será apenas o primeiro entre as duas seleções realizado no Estádio do Boca Juniors.

Chamado oficialmente de Estádio Alberto J. Armando, nome dado em 2001 em homenagem ao ex-presidente do Boca nas décadas de 1960 e 1970, a Bombonera ganhou o apelido famoso graças ao seu formato, similar ao de uma caixa de bombons. Apesar de ter tido seu jogo de abertura em 25 de maio de 1940, num amistoso entre Boca e San Lorenzo, a Bombonera só foi concluída em 1953, quando foi inaugurado o terceiro piso do estádio. Nessa época, a capacidade de público chegou a 60 mil torcedores, 11 mil a mais do que a atual, mas bem abaixo dos 100 mil lugares projetados em 1938, quando foi lançada a pedra fundamental. O estádio ainda seria reformado em meados da década de 1990, ocasião em que ganhou assentos no primeiro piso e áreas VIP.

Em geral preterida pelo Monumental de Nuñez (Estádio do River Plate) como sede dos jogos da seleção argentina, a casa do Boca Juniors costuma dar sorte ao selecionado local. Em 28 partidas realizadas no campo da parte sul da cidade desde 1925, quando o Boca ainda atuava em um estádio improvisado, no mesmo terreno, a Argentina perdeu apenas duas vezes: em 1971, quando foi derrotada por 4 a 1 em amistoso contra a França; e em 1977, quando sucumbiu diante da Alemanha pelo placar de 3 a 1.

A última vez que a seleção argentina jogou na Bombonera foi em 1997, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da França. Na ocasião, o time empatou em 1 a 1 com a Colômbia.

MARADONA

Contratado pelo Boca junto ao Argentino Juniors no final de 1980, Diego Armando Maradona desfilou grande parte de seu repertório de dribles e marcou muitos de seus gols na Bombonera. Foi lá, em 22 de fevereiro de 1981, que ele fez sua estreia com a camisa Xeneize, marcando dois gols na vitória de 4 a 1 do Boca sobre o Talleres, de Córdoba. Maradona seria vendido ao Barcelona na temporada seguinte, voltando ao clube em 1995. O craque encerrou a carreira no clube dois anos mais tarde.

A devoção pelo ex-camisa 10 é argentino é tanta entre os torcedores do Boca que ainda hoje ele é homenageado na Bombonera. Além de uma estátua, ele possui um camarote exclusivo no estádio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.