Rafael Ribeiro/CBF
Rafael Ribeiro/CBF

Seleção brasileira resgata o prestígio internacional

Brasil é recebido com festa no desembarque em Boston, onde enfrenta Portugal, e entra nas festividades do 'Brazilian Day' da cidade

GONÇALO JUNIOR - ENVIADO ESPECIAL, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2013 | 07h30

BOSTON - A goleada sobre a Austrália, seleção classificada para a Copa, representou mais alguns degraus na escalada da seleção brasileira para recuperar seu prestígio internacional. Isso ficou evidente no desembarque da equipe neste domingo, em Boston, onde a equipe vai fazer um amistoso contra Portugal nesta terça. O jogo é recebido pela comunidade brasileira como reafirmação da importância da camisa amarela. Sentimento compartilhado pelos jogadores.

“É muito bom receber o carinho do torcedor brasileiro em qualquer lugar do mundo. A seleção está voltando a ser respeitada”, disse o meia Bernard, no meio dos torcedores brasileiros - poucos, mas eufóricos e barulhentos na entrada do luxuoso hotel da seleção em Boston.

Felipão também gostou. Embora não tenha dado declarações, acenou, cumprimentou os torcedores, deu autógrafos e curtiu o momento que ele ajudou a construir. A recepção calorosa foi muito bem recebida depois do público frustrante no Estádio Mané Garrincha, que recebeu apenas 40 mil pessoas, além dos protestos realizados antes da partida. A grosso modo, o Brasil vai atuar como se estivesse em casa de novo.

Esse momento de euforia internacional deve tomar conta do Gillette Stadium, estádio com capacidade para 68 mil lugares e que deve ser ocupado, em sua maioria por brasileiros. A procura por ingressos tem sido grande desde que o amistoso foi confirmado - a numerosa comunidade portuguesa na região também fez a sua parte. Os norte-americanos, no entanto, continuam torcendo o nariz para o evento. Os principais jornais da região estão mais preocupados com os jogos da NFL e praticamente ignoraram o jogo.

FUTEBOL E CULTURA

O amistoso também foi incluído em dois eventos importantes da cultura brasileira. O primeiro deles foi o 18.º Festival da Independência, realizado na cidade de Firmingham, local da maior concentração de brasileiros. As redes sociais simplesmente convocam os torcedores a comparecem. O segundo é o Brazilian Day, evento para reafirmar o orgulho nacional por meio de atrações culturais, artísticas e, agora, esportivas, que passa por diversas cidades dos EUA.

A alegria da recepção também diminuiu o cansaço da viagem. Logo depois da goleada, os brasileiros pegaram um voo fretado para Santo Domingo e daí para Boston. Foi um percurso de mais de 10 horas. “Cansado. O sonho está pegando”, postou o zagueiro David Luiz, nas redes sociais, ao desembarcar.

A goleada de sábado não foi a única responsável por esse auê todo. Esse movimento começou com o título da Copa das Confederações, que fez o Brasil saltar da 22.ª posição do ranking da Fifa, a pior de sua história, para o nono lugar depois.

A ida de Neymar para o Barcelona também deu uma força no cenário internacional. Ninguém mais se lembra da derrota para a Suíça por 1 a 0 na metade de agosto. Depois dos 6 a 0, ele e a seleção estão com crédito. Dentro e fora do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.