Eduardo Nicolau/Estadão - 31/05/2006
Eduardo Nicolau/Estadão - 31/05/2006

Seleção brasileira teve 16 jogadores cortados desde a Copa de 1970

Em 44 anos, apenas as listas brasileiras dos Mundiais de 1990 e 2010 não tiveram mudanças

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

14 de maio de 2014 | 07h00

SÃO PAULO - O fantasma do corte de jogadores às vésperas de uma Copa do Mundo faz parte da rotina da preparação da seleção brasileira há 44 anos, desde o Mundial de 1970, no México. No total, 16 atletas deixaram o grupo brasileiro e deram lugar a outros atletas em nove Copas (depois de 1970, apenas as edições de 1990 e 2010 não tiveram brasileiros cortados).

Dessa lista, apenas o lateral-direito Leandro, no Mundial de 1986, não estava contundido. O jogador do Flamengo foi solidário ao amigo Renato Gaúcho, excluído da lista final do técnico Telê Santana. Leandro, então, não se juntou aos outros 21 jogadores no dia do embarque para o México. Josimar, do Botafogo, foi convocado e fez história ao marcar dois gols antológicos contra Irlanda do Norte e Polônia.

O primeiro corte da seleção ocorreu antes da campanha do tricampeonato mundial. Renato, atacante do Botafogo, deixou o grupo em maio de 1970. Zagallo convocou Leão, com apenas 20 anos, para a vaga, optando por três goleiros no elenco brasileiro - fato inédito até então.

Em 1974, mais problemas para o técnico Zagallo. Clodoaldo, um dos líderes do time, teve uma lesão muscular a dias da estreia contra a Iugoslávia. Mirandinha, atacante do São Paulo, foi chamado. O fato também ocorreu com o goleiro Wendell, do São Paulo, que deu lugar a Waldir Peres.

Quatro anos depois, mais dois cortes. Nunes, atacante do Santa Cruz, e Zé Maria, lateral do Corinthians, foram substituídos por Roberto Dinamite e Nelinho, respectivamente. Em 1982, mais um imprevisto: Careca, craque do Guarani de 21 anos, sofreu uma lesão muscular a três dias do primeiro jogo do Copa da Espanha. Roberto, novamente, foi convocado. Em 1986, além da desistência de Leandro, mais dois jogadores se machucaram. Toninho Cerezo, da Roma, que foi substituído por Valdo, do Grêmio, e Mozer, zagueiro do Flamengo, que deu lugar a Mauro Galvão, do Inter.

Nos Estados Unidos, oito anos depois, Mozer também se contundiu. Carlos Alberto Parreira, então, chamou o zagueiro Márcio Santos, que, depois, viria a ser o titular da equipe ao lado de Aldair. O fato ocorreu porque Ricardo Gomes foi cortado, dando lugar a Ronaldão.

Em 1998, mais três mudanças de última hora. Romário, o melhor atacante do futebol brasileiro à época, deixou o grupo a oito dias da estreia contra a Escócia. Para o seu lugar, Émerson, volante do Grêmio, foi convocado. Já Márcio Santos e Flávio Conceição cederam seus lugares a André Cruz e Zé Carlos, respectivamente.

Antes do pentacampeonato mundial, Luiz Felipe Scolari, perdeu um dos líderes do time: Emerson, capitão da equipe, machucou o ombro jogando como goleiro no último treinamento da preparação. Ricardinho, em grande fase no Corinthians, foi chamado às pressas. O último problema ocorreu em 2006, com Edmílson. O volante do Barcelona foi cortado após uma lesão no joelho e Mineiro, do São Paulo, integrou o grupo de 23 jogadores para a Copa da Alemanha.

Nesta terça-feira, Felipão divulgou uma nova lista com sete jogadores (Diego Cavalieri, Filipe Luis, Rafinha, Miranda, Lucas Leiva, Lucas e Alan Kardec). O fato ocorreu pois a Fifa exige o envio de 30 nomes. O treinador tem até o dia 2 de junho para confirmar os 23 jogadores da Copa, que fazem parte do grupo divulgado no último dia 7. Caso ocorra algum corte, o técnico da seleção não é obrigado a chamar um jogador desta lista de sete atletas.

LISTA DE CORTADOS

1970

Rogério, atacante do Botafogo (entrou Leão, goleiro do Palmeiras)

1974

Wendell, goleiro do São Paulo (entrou Waldir Peres, também do São Paulo)

Clodoaldo, volante do Santos (entrou o atacante Mirandinha, do São Paulo)

1978

Nunes, atacante do Santa Cruz (entrou Roberto Dinamite, do Vasco)

Zé Maria, lateral-direito do Corinthians (entrou Nelinho, do Cruzeiro)

1982

Careca, atacante do Guarani (entrou Roberto Dinamite)

1986

Mozer, zagueiro do Flamengo (entrou Mauro Galvão, do Internacional)

Toninho Cerezo, meia da Roma (entrou Valdo, do Grêmio)

Leandro, lateral-direito do Flamengo (entrou Josimar, do Botafogo)

1994

Mozer, zagueiro do Olympique (entrou Márcio Santos, do Bordeaux)

Ricardo Gomes, zagueiro do Paris Saint-Germain (entrou Ronaldão, do São Paulo)

1998

Flávio Conceição, volante do La Coruña (entrou o lateral Zé carlos, do São Paulo)

Márcio Santos, zagueiro do São Paulo (entrou André Cruz, do Milan)

Romário, atacante do Flamengo (entrou o volante Émerosn, do Grêmio)

2002

Emerson, volante da Roma (entrou o meia Ricardinho, do Corinthians)

2006

Edmílson, volante do Barcelona (entrou Mineiro, do São Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.