Lucas Figueiredo / CBF
Lucas Figueiredo / CBF

Seleção brasileira vestirá azul no segundo jogo da Copa do Mundo

Nas outras duas partidas da primeira fase, Brasil utilizará a tradicional camisa amarela

Ciro Campos, enviado especial/Sochi, Estadão Conteúdo

15 Junho 2018 | 08h54

A CBF divulgou nesta sexta-feira a combinação de uniformes a ser utilizada pela seleção brasileira nos jogos da primeira fase da Copa do Mundo da Rússia. A equipe enfrentará a Suíça, na estreia, e a Sérvia, no terceiro jogo, com as cores tradicionais: camisa amarela, calção azul e meiões brancos. Contra a Costa Rica, o Brasil jogará inteiramente de azul.

+ Gabriel Jesus pode ser o atacante titular mais novo após Pelé

+ Seleção de Tite troca 'jeitinho brasileiro' pelo futebol científico

+ Danilo corresponde aos testes e faz seleção 'esquecer' trauma com Daniel Alves

A Fifa nos últimos dias conferiu as combinações de uniformes de todas as equipes, inclusive dos goleiros. A preocupação é evitar cores parecidas e propiciar uma distinção melhor para telespectadores que acompanhe as partidas por televisões em preto e branco. Por isso, é comum na Copa uma equipe vestir cores claras e a outra, tons escuros.

No domingo, contra a Suíça, o Brasil irá a campo com as cores principais. Os adversários irão de camisas e meiões vermelhos, com calção branco. O terceiro jogo da seleção, contra a Sérvia, em Moscou, terá a equipe de Tite com as mesmas cores. Os europeus, desta vez, irão com o uniforme todo vermelho.

A diferença estará no segundo compromisso brasileiro. Em São Petersburgo, a equipe estará toda de azul diante da Costa Rica, que se vestirá inteira de branco. A única combinação presente nos três jogos do Brasil é a roupa dos goleiros. Alisson, Ederson e Cássio vão se vestir com a cor verde.

 

O Brasil não veste a camisa azul em uma Copa desde 2010, na derrota por 2 a 1 para a Holanda em Port Elizabeth, na África do Sul. Em 2002 a equipe enfrentou a Costa Rica e jogou de camisa amarela, enquanto os adversários usaram vermelho.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.