Seleção chega na 3ª e Leão deve sair

O vôo 8837 da Varig, que chega terça-feira cedo a São Paulo e depois, às 7h20, ao Rio de Janeiro, está cercado de mistério e apreensão pela dúvida sobre a permanência ou não de Emerson Leão como técnico da seleção. Ele volta da Copa das Confederações com uma campanha medíocre na bagagem, que pode ter antecipado a sua saída, antes condicionada ao desempenho no jogo com o Uruguai, pelas eliminatórias. Contatado por telefone, no Rio, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, se recusou a falar sobre a situação de Leão. "Não adianta perguntar sobre isso que eu não vou responder." Há rumores de que Leão pode ser afastado ainda nesta segunda-feira pela diretoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e de que Luiz Felipe Scolari, como a Agência Estado já informou, poderia vir a substituí-lo, o que foi negado pelo treinador cruzeirense. O coordenador-técnico Antônio Lopes tem reunião com o secretário-geral da CBF, Marco Antonio Teixeira, na terça-feira. No encontro será definido o futuro do treinador. O próprio Lopes reconheceu, no sábado, que os resultados têm influência sobre a permanência do treinador. Teixeira esteve, hoje, em sua casa no Itanhagá, zona zul do Rio.Depois de várias tentativas, a AE conseguiu falar com Teixeira pelo celular, mas ele não quis confirmar se Leão estava demitido. "Estou em uma reunião com amigos", disse, irritado. Em um momento decisivo para a seleção, Teixeira cria uma clima de insegurança ao não divulgar qual será o futuro da equipe brasileira. Hoje, no Aeroporto de Narita, em Tóquio, Leão destratou um fotógrafo brasileiro que apenas registrava sua presença na fila para apresentação de passaporte. Ele deixou a delegação na cidade de Ulsan, na Coréia do Sul, para viajar para Tóquio, ao lado do preparador físico Bebeto de Oliveira. Não quis revelar a programação na capital japonesa. Leão estava pouco disposto a conversar e respondia com apenas uma palavra a várias perguntas. Em outras vezes, apenas balançava a cabeça. O grupo que disputou a Copa das Confederaçõe dividiu-se para voltar para seus clubes. Hoje, Dida, Zé Maria, Vagner, César e Leandro seguiram de Tóquio para a Europa. O restante, incluindo Leão, viaja para São Paulo e Rio.

Agencia Estado,

10 de junho de 2001 | 15h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.