Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Seleção cumpre todo planejamento feito antes da apresentação

Jogadores já passaram por avaliação médica e física e agora partem para os trabalhos em campo

Robson Morelli, enviado especial, O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2014 | 13h27

TERESÓPOLIS - Felipão vai reunindo boas notícias para a estreia da seleção brasileira dia 12. Exceto pela morte do cunhado que o tirou por um dia da Granja Comary, o que foi planejado para o Brasil está sendo cumprido com mãos de ferro pela comissão técnica. Nesta quarta-feira, os jogadores foram apresentados à Brazuca, a bola da Copa, no primeiro treino do grupo no campo, após dois dias de exames médicos e avaliação clínica.

Para os jogadores, esse é o pior período do trabalho. Brincar com a bola é o que mais gostam de fazer, e a partir de agora os treinamentos serão intensificados. Com os exames em mão, o preparador físico Paulo Paixão fará alguns trabalhos individuais para deixar o elenco homogêneo. Parreira ressaltou que os jogadores tiveram uma temporada menos desgastante na Europa e que por isso eles chegam para a competição menos estafados.

Os 23 jogadores participaram ativamente do trabalho desta manhã na Granja Comary. Como sempre e na véspera, os goleiros foram os primeiros a aparecer. Carlos Pracidelli orientou Julio Cesar, Jefferson e Victor no campo anexo ao principal. Com meia hora de atraso e debaixo de uma garoa fina, os jogadores fizeram perto de uma hora e quinze minutos de movimentação. Tiraram a inhaca do corpo.

Felipão e Murtosa comandaram tudo em menos de meio campo. Aquecimento, brincadeiras com a bola, fundamento de um toque com três times, disputa de jogo com as traves. Coube ao atacante reserva Jô fazer o primeiro gol na Granja. De cabeça, bem ao seu estilo, e também como fora a orientação. O jogador do Atlético-MG faria mais um antes do fim do trabalho. Como o Brasil terá pouco tempo para preparar o time, conforme reclamou a comissão técnica, em relação a outros períodos, Felipão deverá intensificar as atividades.

Os coletivos serão mais frequentes, assim como as jogadas ensaiadas. "Acredito que o jogo será mais rápido, veloz, nesta Copa", disse Felipão. Desse modo, o treinador poderá optar por saídas aceleradas pelas pontas e atenção de seus zagueiros nas antecipações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.