Instagram
Instagram

Seleção da Colômbia cobra bom comportamento de torcida na Rússia

Federação está preocupada com vídeos publicados nas redes sociais em que colombianos apresentam atitudes machistas

Estadão Conteúdo

20 Junho 2018 | 22h15

Em meio a polêmicas de torcedores na Rússia, a seleção da Colômbia veio a público nesta quarta-feira, 20, para cobrar um bom comportamento da sua torcida no país da Copa do Mundo. A federação do time colombiano está preocupada com vídeos publicados nas redes sociais em que aparecem torcedores desrespeitando mulheres com comentários e atitudes machistas.

+ Repórter é beijada e apalpada ao vivo durante Copa do Mundo

+ Colombiano pede para torcedora repetir ofensas machistas na Rússia

+ Empresa se desculpa por oferecer prêmio a russas que engravidassem de jogadores

"Compatriotas, vir até a Rússia apoiar a nossa seleção é um gesto que agradecemos infinitamente. Mas se puderam fazer este esforço, o façam também para respeitar as mulheres, os adversários e as leis do país anfitrião", disse o presidente da Federação Colombiana de Futebol, Ramón Jesurún, nas redes sociais.

Jesurún se refere a um vídeo divulgado também nas redes sociais, em que aparece um torcedor colombiano dizendo palavras grosseiras a uma torcedora japonesa que não entende o idioma do primeiro. É situação semelhante ao vídeo em que brasileiros aparecem fazendo comentário sobre o órgão sexual de uma russa, o que vem gerando forte repercussão no Brasil nos últimos dias.

O ex-jogador Faustino Asprilla, da Colômbia, compartilhou o vídeo em seu Instagram. 

"Para todos os meus amigos no mundo, especialmente os japoneses, esse é o tipo de pessoa que não representa a cultura colombiana. Nós respeitamos todas as culturas, por favor, aceitem meus pedidos de desculpas no nome de todas as pessoas do meu país. Respeito e amor para todos", escreveu o ex-atleta.

 

NO AR

A jornalista colombiana Julieth González Therán, enviada especial da Deutsche Welle (DW) à Rússia, foi beijada e apalpada durante uma transmissão ao vivo. O episódio aconteceu semana passada, quando a repórter fazia cobertura da contagem regressiva para o início da Copa em Moscou. A repórter continuou falando, mesmo enquanto estava sendo apalpada, e comentou o incidente durante a transmissão.

Therán disse posteriormente que procurou o homem depois que saiu do ar, mas ele havia desaparecido.

Em outro caso envolvendo torcedor colombiano, um homem foi demitido pela empresa aérea Avianca por ter consumido bebida alcoólica proibida em um dos estádios da Copa. A bebida teria entrado no local de forma ilegal. A empresa não revelou o nome do funcionário, cujo "contrato foi encerrado".

Curiosamente, caso de demissão semelhante aconteceu com um brasileiro nesta quarta. Felipe Wilson foi demitido pela Latam por conta de um vídeo em que ele aparece constrangendo mulheres na Rússia. A empresa divulgou uma nota dizendo que repudia a atuação do seu agora ex-funcionário e que tomou as medidas cabíveis, de acordo com seu código de ética e conduta.

Em um trecho do vídeo, ele pede para as russas repetirem a frase: "eu quero dar a b... para vocês". Em seguida, Felipe aparece sorrindo e gritando "Brasil, Brasil" e um outro homem entra na frente da câmera assobiando.

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.