Seleção da Ucrânia é punida por racismo da torcida e jogará com portões fechados

Após a Rússia, agora é a Ucrânia que está no centro da discussão sobre racismo no futebol europeu. Nesta sexta-feira, a Uefa anunciou punição à seleção ucraniana, que terá que jogar com os portões fechados em seu próximo compromisso internacional por conta de atitudes racistas de sua torcida no jogo contra a Espanha, pelas Eliminatórias da Eurocopa.

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2015 | 15h40

De acordo com a Uefa, a federação ucraniana ainda foi multada em 97 mil euros por conta dos cânticos e faixas racistas vistos na partida que a Espanha venceu a Ucrânia por 1 a 0 em Kiev, jogando os ucranianos para a repescagem.

Na quarta-feira, a Uefa já havia determinado punição ao maior clube da Ucrânia, o Dínamo de Kiev, que terá que jogar suas duas próximas partidas em casa, em competições organizadas pela Uefa, com os portões fechados.

A pena se deve a agressões ocorridas em setor da arquibancada do Estádio Olímpico na partida contra o Chelsea, no dia 20 de outubro, pela Liga dos Campeões. Ao menos oito foram atacados, quase todos negros. Também foram atingidos torcedores que tentavam protegê-los.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolUCrâniaUefaracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.