Lucas Figueiredo/Divulgação
Lucas Figueiredo/Divulgação

Seleção brasileira de 1982 foi a última a jogar em Natal

Capital potiguar recebeu o início da preparação para a Copa do Mundo da Espanha

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

02 Outubro 2016 | 05h00

Na última – e única – visita da seleção brasileira à capital potiguar, a Copa de 1982 era a meta, a agora extinta Alemanha Oriental a adversária e o estádio em Natal conservava o nome da época da inauguração. Depois de 34 anos, longas negociações políticas viabilizaram o retorno da equipe à cidade.

A inclusão de Natal no roteiro era um planejamento antigo da CBF por dois motivos. Antes do começo das Eliminatórias a entidade buscava o Nordeste por confiar que na região a equipe teria mais apoio da torcida. Além disso, trata-se de um projeto de dar mais ocupação às arenas da Copa de 2014.

O presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF), José Vanildo, contou que desde que assumiu o cargo, há sete anos, trabalhava para levar um jogo do Brasil ao Estado. Para ter direito à oportunidade, recusou a ideia de receber nos anos anteriores a seleção olímpica para amistosos.

"Eu nunca me habilitei para ter outros modelos de jogos, para não atrapalhar nossa vontade de ter a seleção em um jogo tão importante", disse. O sonho do dirigente era ter a presença da seleção em 2016 por ser o ano do centenário dos dois principais clubes de Natal, o América-RN e o ABC.

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, participou dos preparativos para receber a seleção, ao viajar à sede da CBF, em julho, para se reunir com a cúpula da entidade.

Aliado do presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, Vanildo será ainda o chefe da delegação do Brasil nestas duas próximas rodadas. Depois da Bolívia, a equipe embarca no domingo para Mérida, na Venezuela.

Em 102 anos de história, o Brasil já jogou com a seleção principal em 21 das 27 capitais do País. Dessas por onde já passou, Natal é a que está há mais tempo sem receber partidas da equipe, desde janeiro de 1982.

Para o presidente da federação local, o problema da cidade era a falta de estádio. "Não tínhamos equipamento esportivo adequado. Talvez não fosse interesse das administrações anteriores abrigar um jogo desse porte", afirmou.

RUMO À ESPANHA

A seleção brasileira que não ganhou, mas teve campanha marcante no Mundial da Espanha, começou a se preparar para o torneio em Natal. A cidade recebeu no começo daquele ano o primeiro dos seis amistosos da equipe antes da Copa do Mundo.

No compromisso com a Alemanha Oriental, a seleção brasileira venceu de virada por 3 a 1, gols de Paulo Isidoro, Renato e Serginho Chulapa.

"Foi o período em que o Brasil começou a se acertar em campo. Gostamos muito de jogar no Nordeste naquela vez, por ter mais apoio. Jogar em São Paulo era uma desgraça. Tinha vaia antes de começar a partida", relembrou o ex-atacante Mário Sérgio, titular naquele amistoso. 

O jogo para o público de 48 mil pessoas foi no antigo estádio local, batizado naquela época ainda com o nome de inauguração. Entre 1972 e 1989, foi chamado de Castelão, até mudar para Machadão, em homenagem a um ex-presidente da FNF.

A praça esportiva foi demolida em 2011 para dar lugar à construção da Arena das Dunas, que recebeu quatro partidas do último Mundial.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.