Ennio Leanza/AP
Ennio Leanza/AP

Seleção derrota a Bósnia por 2 a 1 no primeiro amistoso de 2012

Jogando mal, e com gol contra salvador no final, time de Mano Menezes abre o ano com vitória

Demétrio Vecchioli, Agência Estado

28 de fevereiro de 2012 | 20h33

ST. GALLEN - A seleção brasileira achou uma vitória por 2 a 1 sobre a Bósnia-Herzegovina, nesta terça-feira, em amistoso realizado em St. Gallen, na Suíça. O Brasil jogava mal, mais uma vez não convencia, mas conseguiu o triunfo nos acréscimos do segundo tempo, em um gol marcado contra por Papac, após cruzamento de Hulk. O defensor foi tentar cortar e mandou para dentro do próprio gol. Marcelo havia aberto o placar para os comandados de Mano Menezes logo aos 3 minutos de jogo. Ibisevic empatou pouco depois.

Desde que Mano Menezes assumiu a seleção brasileira, logo após a Copa do Mundo de 2010, o Brasil já enfrentou cinco seleções que estão entre as 20 melhores do mundo, tal como a Bósnia. Esta foi a primeira vitória. Antes, havia perdido para Argentina, França, Alemanha e empatado com a Holanda. A única exceção foi o triunfo sobre a Argentina, quando os dois times só tiveram jogadores que atuam nos dois países.

O JOGO

Mano Menezes surpreendeu ao escalar a seleção brasileira sem Paulo Henrique Ganso. Depois de esperar por meses até que o meia do Santos se recuperasse de lesões, ele deixou o santista no banco justamente quando o jogador voltou a jogar em alto nível. O treinador preferiu montar a equipe com Sandro, Fernandinho, Hernanes e Ronaldinho Gaúcho no meio de campo.

Logo de cara, pareceu que Paulo Henrique Ganso não faria falta. Logo aos 3 minutos, Daniel Alves apareceu como armador na entrada da área e, mesmo cercado por seis bósnios, rolou para Marcelo. O lateral-esquerdo do Real Madrid veio de trás, encheu o pé, bateu cruzado de primeira e abriu o placar para o Brasil.

Dez minutos depois, porém, veio o empate da Bósnia. Ibsevic arrancou pela meia direita e chutou rasteiro, no meio do gol. A bola quicou no gramado e enganou Julio Cesar, que falhou feio e aceitou.

Perdido no meio de campo, o Brasil só respondeu aos 19 minutos. Foi quando Fernandinho enfiou boa bola para Leandro Damião. O atacante do Internacional chutou cruzado, o goleiro defendeu e, no rebote, Hernanes quase marcou.

A carência de um armador era clara, principalmente pela ineficiência de Ronaldinho Gaúcho, sempre buscando o drible, quase sempre sem sucesso. Tanto que a única outra boa chance do Brasil no primeiro tempo nasceu dos pés de Daniel Alves, que arriscou de fora da área e viu Begovic fazer boa defesa no canto esquerdo.

A Bósnia também levou perigo. Aos 35 minutos, Dzeko passou por David Luiz, foi à linha de fundo e rolou par atrás. Misimovic bateu por cima do travessão. Já aos 44, o atacante do Manchester City tocou para Pjanic, que chutou de bico. Julio Cesar defendeu, mas dando rebote para o meio da área. Sorte dele que a zaga depois tirou.

A seleção brasileira voltou do intervalo sem alterações - nem mesmo táticas. A ineficiência no meio de campo prosseguia e Neymar apanhava para tentar criar alguma coisa. A primeira mudança de Mano Menezes foi trocar Sandro por Elias. Paulo Henrique Ganso só substituiu Ronaldinho Gaúcho aos 18 minutos, quando a Bósnia já mandava no jogo.

A entrada de Ganso (e também a troca de Hernanes por Hulk) fez o Brasil crescer no jogo. Saiu dos pés do santista o bom passe para Marcelo, que limpou a jogada na área, mas preferiu cortar para o pé esquerdo e desperdiçou o lance. Neymar também perdeu boa chance, logo depois. Recebeu pela esquerda, foi para cima da marcação, conseguiu se livrar do zagueiro, e tocou tentando tirar do goleiro. Não conseguiu e Begovic pegou.

A dez minutos do fim do jogo, Lucas entrou no lugar de Leandro Damião e quase justificou toda a batalha travada pela CBF para contar com ele. O meia do São Paulo girou em meio a quatro marcadores, bateu cruzado e quase fez. Se os brasileiros não conseguiam, a Bósnia ajudou. Aos 45 minutos, Hulk apareceu pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou para o meio da área, tentando encontrar alguém. Papac estava lá e marcou contra.

BRASIL 2 x 1 BÓSNIA-HERZEGOVINA

BRASIL - Julio Cesar; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Sandro (Elias), Fernandinho, Hernanes (Hulk) e Ronaldinho Gaúcho (Paulo Henrique Ganso); Neymar (Jonas) e Leandro Damião (Lucas). Técnico: Mano Menezes.

BÓSNIA-HERZEGOVINA - Begovic; Pandza, Jahic, Spahic e Papac; Rahimic, Misimovic (Zahirovic), Pjanic (Maledic) e Medunjanin (Ibricic); Ibisevic (Salihovic) e Dzeko. Técnico: Safet Susic.

GOLS - Marcelo, aos 3, e Ibisevic, aos 12 minutos do primeiro tempo; Papac (contra), aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÃO AMARELO - Não houve.

ÁRBITRO - Sascha Kever (Fifa-Suíça).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

Local - AGF Arena, em St. Gallen (Suíça).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.