Seleção em xeque contra a França

Brasil x França é umadecisão, antecipada ou não, para a maioria dos jogadores do timede Emerson Leão. Uma vitória nesta quinta-feira pode representaro sucesso repentino de alguns jogadores ainda em começo decarreira, como o meio-de-campo Fábio Rochemback, ou de outros,que jamais tiveram oportunidade na seleção, como o atacanteWashington e os meias Ramon e Leomar. Mesmo os que pertencem a grandes clubes do Brasil ou daEuropa, como Leandro, reserva na Fiorentina, sabem que o impactode um bom resultado contra os campeões do mundo seria até maiorque o da conquista do título, numa eventual partida contra Japãoou Austrália, os outros dois semifinalistas da Copa dosConfederações. "É o jogo mais importante da minha vida, nãotenho dúvida", disse o jovem atacante, de 24 anos. Washington também passou esta quarta-feira em Seulpensando no que pode acontecer no Estádio de Suwon e associou aimportância do jogo à valorização dos atletas convocados para otorneio. Ele classificou uma vitória contra a França como "umtrampolim" para todo o grupo. Depois, ressaltou que ofavoritismo do adversário é relativo, por causa da tradição dofutebol brasileiro e da capacidade técnica dos escalados porLeão. Até mesmo jogadores mais experientes, como o goleiroDida, podem fazer dessa partida o início de uma reviravolta nacarreira. Após uma boa fase na seleção com Wanderley Luxemburgo,em 2000, caiu muito de rendimento. Agora, está a 360 minutos semlevar gol, marca razoável, apesar da mediocridade dos últimosadversários, entre os quais a seleção do Canadá e o Verdy Tokyo,o pior clube do Japão.

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 22h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.