Seleção encontrará uma Weggis bem brasileira

A seleção brasileira chegará neste domingo a Weggis (Suíça), comunidade de 4 mil habitantes e totalmente diferente de qualquer cidade do Brasil. Mas não será nenhuma surpresa se os jogadores se sentirem em casa. O vilarejo na deslumbrante região de Lucerna está enfeitado de verde e amarelo, com bandeiras do País sul-americano por todos os lados e camisas de Ronaldinho, Ronaldo, Roberto Carlos, em suas raras lojas. Os brasileiros que vivem nessa área da Suíça prometem agitar os treinos. E shows típicos ocorrerão com freqüência. A pacata cidade, que parece viver em eterno silêncio, já começa a sentir os efeitos latino-americanos. Os primeiros jornalistas chegaram e mudaram um pouco o ambiente. O silêncio já não é o mesmo de dias atrás. O torcedor gaúcho Clóvis Fernandes, símbolo das últimas Copas, também apareceu, fazendo muito barulho. Sábado, um grupo de alpinistas suíços fixou uma grande bandeira brasileira (de 24 m x 30 m) ao lado de uma suíça, como forma de homenagear os convidados, na montanha Rigi, de 1.800 metros de altura. Os jogadores da seleção entrarão no Park Hotel Weggis na tarde de amanhã e, na terça e na quarta, passarão por exames médicos. O local ficará fechado para os brasileiros até 3 de junho, quando o grupo deixará a cidade.

Agencia Estado,

20 Maio 2006 | 18h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.