Seleção erra deixa Parreira preocupado

Um treino coletivo com vitória dos reservas por 2 a 1 foi suficiente para deixar o técnico Carlos Alberto Parreira preocupado, neste domingo, em Teresópolis. O entusiasmo da véspera acabou. A Seleção Brasileira se mostrou vulnerável aos contra-ataques, arma que Parreira considera como a predileta dos argentinos. O técnico percebeu que o seu time tem deficiências na marcação e admitiu que pode mudar seu plano de jogo para vencer a Argentina."Cautela, muita cautela. Sofremos dois contra-ataques fulminantes e isso pode ser fatal contra a Argentina. Eles jogam com três atacantes abertos, Delgado, Crespo e o Killy. Temos de ter cuidado com os contra-ataques." Toda essa preocupação obriga Parreira a repetir nesta segunda-feira mais um coletivo na tentativa de reorganizar a Seleção. A saída, indicou o treinador, é recuar a equipe. "Quando a gente joga com seis a oito jogadores atrás da linha da bola, fica mais fácil. Talvez tenhamos de jogar assim contra a Argentina".Não é apenas a marcação que deixou Parreira intrigado. O ataque também não decolou. As tabelas entre Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Ronaldinho não apareceram diante do esquema dos reservas, armado à semelhança do time argentino. Jogaram os reservas com três zagueiros (Luisão, Gilberto Silva e Cris), quatro no meio (Belletti, Julio Baptista, Edu e Felipe) e três na linha de frente (Kléberson, Luís Fabiano e Alex)."O time titular sentiu muitas dificuldades, não foi nada do que esperávamos", comentou Parreira. "Temos de melhorar muito. Foi bom que os erros apareceram agora. Ainda temos tempo para corrigir o que saiu errado." Não parece tão fácil assim. Kaká, bem marcado, não encontrou os dois Ronaldos. Cafu e Roberto Carlos tiveram enormes dificuldades para chegar na linha de fundo. Em 45 minutos de coletivo, a melhor jogada dos titulares saiu dos pés de Zé Roberto que avançou pela ponta-esquerda e cruzou para Juninho Pernambucano marcar de cabeça.Luís Fabiano e Edu fizeram os gols da vitória dos reservas.Entre os jogadores não ficou tão evidente a preocupação de Parreira.Os de mais poder no time - o trio Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Ronaldinho - evitaram se manifestar sobre o treino. Saíram do campo e correram para os vestiários, depois de rápida saudação aos torcedores, que tomaram conta da Granja Comary a convite dos patrocinadores da Seleção Brasileira.Pelo menos 200 pessoas correram atrás de autógrafos e fotos dos craques. Desde que a Seleção chegou na Granja Comary, sexta-feira, o ambiente tem sido de muita empolgação, compromissos com os patrocinadores. Parreira comandou apenas dois treinos táticos e um coletivo. Não se ensaiou uma cobrança de faltas, nenhuma jogada especial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.