Pavel Golovkin/AP
Pavel Golovkin/AP

Seleção exalta paciência para encontrar espaços na defesa russa

"O jogo estava difícil, tomamos muitos contra-ataques, mas soubemos nos portar nos momentos difíceis", disse o zagueiro Miranda

Estadão Conteúdo

23 de março de 2018 | 15h34

Os jogadores da seleção brasileira apontaram a tranquilidade e a concentração exibidas pela equipe para superar a Rússia como virtudes no amistoso desta sexta-feira, vencido por 3 a 0, no Estádio Luzhniki, em Moscou, na preparação para a Copa do Mundo. Após um primeiro tempo difícil, que terminou em 0 a 0, a equipe assegurou o triunfo com gols marcados entre os sete e os 20 minutos da etapa final.

+ Brasil deslancha na etapa final, marca 3 e vence Rússia com facilidade em Moscou

"O jogo estava difícil, tomamos muitos contra-ataques, mas soubemos nos portar nos momentos difíceis e fomos felizes nos lances de bola parada", afirmou o zagueiro Miranda, autor do primeiro gol brasileiro, em entrevista à TV Globo. "Foi um grande teste, a seleção adversária fez um jogo duro, mas a gente conseguiu suportar bem e fez um grande jogo", acrescentou.

Esse discurso foi repetido por Alisson. O goleiro elogiou a Rússia, embora a seleção adversária não tenha conseguido bons resultados recentemente, e apontou a dificuldade para encontrar espaços na linha defensiva adversária, armada com cinco jogadores.

"É uma equipe qualificada, não existe equipe fraca no Mundial. Estivemos sempre concentrados para que quando eles encontrassem os poucos espaços que deixaram, a gente pudesse aproveitar. Este é o trabalho de equipe. Foi uma vitória importante para a preparação", comentou.

Escalado como substituto de Neymar, que se recupera de lesão, Douglas Costa atuou bem aberto no setor ofensivo, dando arrancadas para conseguir abrir espaços na defesa adversária. E o jogador da Juventus acredita ter correspondido bem ao que o técnico Tite lhe pediu.

"A equipe toda se portou muito bem, teve paciência para criar e felizmente conseguimos marcar. Esse é o caminho, acho que correspondi bem", disse, garantindo não ter preferência de posicionamento em campo. "Tenho bastante tempo para me adaptar aos dois lados, então vamos jogar onde o professor preferir", concluiu.

Após o amistoso com a Rússia em Moscou, a seleção brasileira voltará a jogar na próxima terça-feira, quando fará amistoso com a Alemanha, em Berlim. Será o último compromisso da equipe antes da convocação para a Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.