Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Pedro Martins/MoWa Press
Pedro Martins/MoWa Press

Seleção faz trabalho tático e treina jogadas de bola parada em atividade fechada

Movimentação comandada por Tite teve jogadas de defesa e com campo reduzido

Ciro Campos e Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

26 de março de 2017 | 20h18

A dois dias de receber o Paraguai, no Itaquerão, pelas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, a seleção brasileira fechou boa parte da atividade realizada neste domingo no estádio corintiano. E o técnico Tite aproveitou a atividade para focar nos aspectos táticos, além de trabalhar jogadas de bola parada.

De acordo com informações divulgadas pela CBF, a primeira parte do treinamento foi um trabalho tático em campo reduzido, com duas equipes completas, com dez jogadores e um goleiro de cada lado, se enfrentando.

Na sequência, o foco foram as jogadas de bola parada, especialmente defensivas, com titulares e reservas treinando em lados diferentes do estádio do Corinthians. Antes do término da atividade deste domingo, o lateral-esquerdo Marcelo e o atacante Neymar treinaram cobranças de faltas frontais.

Apesar de o treino ter sido fechado, não há mistério quanto a escalação do Brasil para o duelo com o Paraguai. Em relação ao time que goleou o Uruguai por 4 a 1, na última quinta-feira, a única novidade será a entrada de Fagner na lateral direita, na vaga do suspenso Daniel Alves.

Assim, o Brasil deverá encarar a seleção paraguaia com a seguinte formação: Alisson; Fagner, Marquinhos, Miranda e Marcelo; Casemiro, Philippe Coutinho, Paulinho, Renato Augusto e Neymar; Firmino.

O treino deste domingo foi o primeiro da seleção no Brasil em que Tite impediu a presença dos jornalistas durante a sua totalidade. A seleção volta a treinar na tarde desta segunda-feira no Itaquerão, às 17 horas, na véspera do duelo com o Paraguai, marcado para as 21h45 de terça. E Tite vai repetir o expediente de fechar a atividade à imprensa, que só terá acesso a 15 minutos do trabalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.