Federação de futebol dos EUA/Site oficial
Federação de futebol dos EUA/Site oficial

Seleção feminina é goleada e Estados Unidos conquistam o Torneio das Nações

Brasil é derrotado por 4 a 1 pelas norte-americanas, pelo torneio amistoso

Estadão Conteúdo

03 Agosto 2018 | 00h12

A seleção feminina do Brasil se despediu do Torneio das Nações de forma negativa. Na noite desta quinta-feira, as brasileiras foram goleadas de virada por 4 a 1 pela seleção dos Estados Unidos, que ficaram com o título da competição. As norte-americanas levantaram o troféu em casa, no estádio Toyota Park, em Bridgeview.

+ Vadão é indicado pela Fifa ao prêmio de melhor técnico do futebol feminino

As comandadas de Vadão abriram o placar em gol contra de Tierna Davidson nos primeiros minutos da etapa inicial, mas não foram capazes de sustentar a vantagem e, com muitos problemas na marcação, permitiram que as norte-americanas virassem a partida com certa facilidade.

Rose Lavelle, no primeiro tempo, Julie Hertz, Tobin Heath e Alex Morgan, na etapa final, marcaram os gols que confirmaram o triunfo e deram o título à seleção anfitriã, que fechou a competição com os mesmo sete pontos da vice-campeã Austrália, mas com campanha superior à das australianas por ter melhor saldo de gols (5 contra 4).

O Brasil encerrou a sua participação nesta edição do Torneio das Nações na terceira posição, conquistada com uma campanha de duas derrotas para Austrália e Estados Unidos e um triunfo diante do Japão, o último colocado. Na primeira edição, disputada em 2017, as brasileiras foram as lanternas.

Em campo, o time liderado por Marta deu indício nos primeiros minutos de que complicaria a vida das adversárias e poderia conquistar o vice-campeonato. Marta começou ligada, e foi responsável pelos melhores momentos da equipe na partida. Aos 16 minutos, Tierna Davidson marcou contra e ajudou o Brasil a sair na frente.

Os bons momentos do Brasil ficaram nisso e os Estados Unidos logo reagiram. Rose Lavelle, aproveitando falha na marcação, empatou a partida aos 33 minutos. Àquela altura, as norte-americanas já eram superior na partida, mas não tanto quanto seriam na etapa final.

O sistema defensivo frágil e as falhas individuais foram fundamentais para a derrota brasileira. A seleção dos Estados Unidos se aproveitou desses erros e construiu a vitória no segundo tempo sem fazer muita força. Julie Hertz virou a partida ao completar cruzamento livre na segunda trave, Tobin Heath aumentou o placar em chute certeiro da entrada da área e Alex Morgan sacramentou o resultado após desviar cruzamento da direita para o gol.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.