Seleção joga de olho nas eliminatórias

A seleção brasileira entra em campo nesta quarta-feira à noite para enfrentar o Paraguai, em rodada decisiva da primeira fase da Copa América, com a cabeça num outro time paraguaio, contra o qual jogará no dia 15 de agosto, pelas eliminatórias. A partida desta quarta-feira, às 21h45, no Estádio Pascual Guerrero, é encarada pelos jogadores e pela comissão técnica como uma prévia do confronto decisivo do próximo mês, em Porto Alegre, que pode aproximar o Brasil da Copa do Mundo ou tornar sua situação ainda mais complicada. Embora as duas seleções tenham como objetivo o título da Copa América, as atenções estão voltadas para as eliminatórias. Por isso, usam o torneio para se preparar e estudar os adversários. Tanto que o Paraguai terá em campo apenas um jogador considerado titular, o meia Alvarenga. Ele atuará nos dois jogos contra o Brasil. Ruim para Luiz Felipe Scolari, que pouco poderá observar do rival. "Pelo menos servirá para vermos o posicionamento dos jogadores", disse o treinador.O paraguaio Sérgio Markarián tem um ponto a seu favor. Quase metade dos jogadores brasileiros que atuarem nesta quarta-feira estará em Porto Alegre. Marcos, Cris, Roque Júnior e Emerson estão garantidos e Juan, que vem agradando, também tem boas chances de permanecer na equipe para as eliminatórias. "Sabemos que o Paraguai não jogará completo, mas poderemos observar como o Markarián arma o time, qual é o sistema de jogo", afirmou o meia Alex.O Brasil está melhor na Copa América. Precisa de um empate para garantir vaga nas quartas-de-final, enquanto o adversário depende da vitória. Na corrida para o Mundial do Japão e da Coréia do Sul, porém, o Paraguai está bem na frente. Tem 26 pontos contra 21 e está próximo de assegurar um lugar na competição mais importante do planeta.Coincidentemente, há exatamente um ano, os brasileiros perdiam pela primeira vez nestas eliminatórias, justamente contra o Paraguai, em Assunção.Markarián não demonstra grande preocupação com a partida desta quarta-feira. Sabe que a situação da equipe é delicada e se diz preparado para uma possível eliminação. "Tínhamos de vencer o México, não conseguimos, e agora nossa situação se complicou porque vamos enfrentar o Brasil", comentou, esbanjando respeito. "O Brasil quer buscar uma saída para o difícil momento por que está passando." Felipão pode ter de deixar a superstição de lado e aposentar pelo menos por um jogo a camisa azul, que a seleção usou no domingo, contra o Peru. Como o Paraguai utilizará um calção azul, para não haver confusão é possível que os brasileiros voltem ao uniforme titular, com a tradicional camisa amarela. A comissão técnica faz mistério, como se a camisa fosse mudar o resultado da partida.O treinador confirmou que irá manter o time que venceu o Peru por 2 a 0. Eduardo Costa sente dores na coxa direita e Roque Júnior tem uma inflamação no púbis, mas ambos estarão em campo. Felipão afirmou novamente que o 0 a 0 será um grande resultado. "Com o empate estaremos classificados e quero que o pessoal que meteu o pau em mim continue fazendo o mesmo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.