Fernando Bizerra Jr/ EFE
Fernando Bizerra Jr/ EFE

'Seleção não joga em função de Neymar', diz goleiro Jefferson

'Outros podem fazer a diferença a qualquer momento', diz jogador

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

16 de junho de 2015 | 18h10

O goleiro Jefferson afirma que a seleção brasileira não é totalmente dependente de Neymar. Para o goleiro, a equipe é capaz de fazer bons jogos sem o jogador do Barcelona, decisivo na vitória sobre o Peru na estreia da equipe na Copa América - fez o primeiro gol e deu assistência para o segundo.

"A seleção não joga em função de Neymar, ao contrário, ele é que chama a responsabilidade. Jogamos com o México sem Neymar e fizemos grande partida. Ele chama a responsabilidade pelo jogador que é, mas temos outros jogadores que podem fazer a diferença a qualquer momento", disse o goleiro, no Estádio Monumental de Santiago, nesta terça-feira.

O estilo ousado do camisa 10, que chegou a ser duramente criticado por um drible na final da Copa do Rei, também foi defendido pelo goleiro. "Tem de entender o estilo de jogo dele. Em nenhum momento, a gente vê que ele está esnobando. Ele está sempre querendo atacar e ir para cima do adversário."

A partida contra a Colômbia, nesta quarta, o segundo na Copa América, merece cuidados especiais, na opinião do goleiro. A comissão técnica pretende rever os jogos da equipe de James Rodríguez e Falcao García na véspera da partida. "Costumo estudar muito o adversário, faço isso mais perto do jogo, junto com a comissão técnica e vamos ver o jogo com a Colômbia. Vai ser um jogo difícil, porque eles precisam da vitória", afirmou o goleiro.

A exemplo do que havia feito logo após a partida contra o Peru, Jefferson reconheceu o erro que resultou no gol de Cueva, com menos de dois minutos de jogo. "No intervalo, eu falei que poderia ter chutado. Foi um lance muito rápido, quando o David tocou para mim, se caísse pela esquerda, talvez eu pudesse ter dado o chutão. Mas a gente reagiu rápido e pudemos fazer grande jogo, e isso é fundamental", disse o goleiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.