Seleção norte-americana chega sob segurança reforçada

A seleção dos Estados Unidos chegou à Alemanha nesta sexta-feira, sob segurança reforçada e com a esperança de no mínimo repetir a campanha da Copa de 2002, quando chegaram às quartas-de-final e caíram num jogo polêmico, em que o juiz não anotou um pênalti cometido por Frings quando a Alemanha já vencia o jogo por 1 a 0.Por causa do forte esquema de proteção, devido ao medo de atentados, os jogadores não deram entrevista - só o fariam à tarde, antes do primeiro treino. "É importante ir bem na Copa por causa da pressão e da atenção que estamos recebendo da mídia", disse o atacante Brian Ching antes do embarque, em Nova York.A seleção treinada por Bruce Arena teve uma maratona nas últimas semanas, com treinos puxados e três amistosos em seis dias - perderam para o Marrocos por 1 a 0, e venceram a Venezuela por 2 a 0 e a Letônia por 1 a 0. Na próxima segunda-feira, devem realizar um jogo-treino contra Angola, exatamente uma semana antes da estréia contra a República Checa, dia 12, em Gelsenkirchen."Ainda precisamos de um pouco de tempo para recuperar nossas pernas", disse o atacante Landon Donovan, também antes do embarque. "O grupo é duro. Tudo pode acontecer", disse Ching. Os Estados Unidos enfrentam também Itália e Gana no Grupo E.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.