Jean-François Monier/AFP
Jean-François Monier/AFP

Seleção olímpica joga mal e perde de virada para a França Sub-21

Foi o primeiro teste após a saída de Gallo do comando técnico

Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2015 | 18h01

A seleção brasileira não deixou uma boa impressão neste primeiro teste após a "era Alexandre Gallo". Com Rogério Micale representando Dunga, que comanda o time principal em amistoso com os Estados Unidos ainda nesta terça, o País decepcionou e acabou derrotado pela França Sub-21 por 2 a 1, em amistoso realizado em Le Mans.

O primeiro teste nesta nova fase da seleção olímpica mostrou uma equipe sem a movimentação que se esperava de um ataque formado por Felipe Anderson, Kenedy, Alisson e Luan. O Brasil até saiu na frente no primeiro tempo, mas levou o empate na sequência. A etapa final foi toda francesa e a merecida virada aconteceu após infelicidade de Rodrigo Caio.

O jogo começou movimentado e o Brasil abriu o placar logo aos 13 minutos, com ajuda do adversário. Lucas Silva encontrou Wendell pela esquerda, o lateral cruzou e Kimpembe se desesperou: ao invés de deixar para o goleiro, o camisa 20 se jogou de carrinho e tocou contra o próprio gol.

Só que a alegria brasileira durou pouco, e somente três minutos depois a França empatou. Amavi fez bela jogada pela direita e tocou para Haller, que encheu o pé. A bola tocou na trave, nas costas de Ederson, e sobrou para o próprio Amavi bater para o gol vazio.

O jogo, então, ficou morno. A França tentava se soltar, mas nas poucas vezes que ia ao ataque o Brasil era mais perigoso. Aos 26, Rodrigo Caio marcou de cabeça após cobrança de falta, mas estava impedido. Aos 44, Kenedy tentou de fora e jogou perto do travessão.

Já na volta para o segundo tempo, a França foi para cima e perdeu grande oportunidade logo aos dois minutos. A zaga do Brasil ficou reclamando de uma falta em Otávio, Coman arrancou sozinho, driblou o goleiro, mas perdeu o equilíbrio e bateu para fora.

Foi um prenúncio de como seria a etapa final. As diversas mexidas de Rogério Micale pioraram a equipe e o Brasil deixou de atacar. A França insistiu até chegar ao segundo gol. Após falta batida da esquerda, Rodrigo Caio escorregou, Haller aproveitou e bateu para marcar.

O gol até melhorou um pouco o desempenho brasileiro, que tentou responder e teve grande momento aos 36 minutos. Luan recebeu fora da área e bateu de primeira, no travessão. Mas a ausência de criatividade impediu outros bons momentos e a tentativa de reação parou por aí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.