Seleção pega Jamaica para inglês ver

O Brasil enfrenta a Jamaica, neste domingo (às 11 horas de Brasília), em Leicester, por conveniência e para evitar desgaste com clubes europeus. A CBF concordou em marcar a partida para um estádio inglês para contar com suas principais estrelas. Dessa forma, permite ao técnico Carlos Alberto Parreira aprimorar o entrosamento para jogos contra Peru e Uruguai, em novembro, pelas Eliminatórias da Copa de 2006. A partida, no Walker Stadium, começa às 15 horas locais - 11 da manhã,de Brasília - com transmissão pela TV Globo. O local do amistoso é uma novidade imposta pela Fifa. A entidade que controla o futebol mundial propôs que os sul-americanos marcassem amistosos na Europa para facilitar a vida dos atletas. Como a maioria dos convocados está espalhada pelo continente, fica mais fácil o deslocamento. Em contrapartida, os clubes da região se comprometem a não criar obstáculos para liberá-los toda vez que forem chamados para as partidas da fase de classificação para o torneio da Alemanha. Por isso, Parreira teve à disposição, desde quarta-feira, estrelas campeãs do mundo como Ronaldo, Rivaldo, Roberto Carlos e Cafu. A única ausência foi a de Ronaldinho Gaúcho, que na terça-feira se machucou no jogo do Barcelona com o Gramanet, pela Copa do Rei da Espanha, e será substituído por Kaká. O ex-meia são-paulino vive fase excelente. Ele conquistou rapidamente o carinho dos torcedores e elogios da imprensa italiana, graças a excelentes atuações pelo Milan, onde se encaixou sem problemas. Tanto pela seleção quanto pelo seu novo clube, adota postura de quem está aprendendo. "É importante acumular experiência", admite. "Aprende-se muito observando, dentro e fora do campo, jogadores como Roberto Carlos e Rivaldo, ou Costacurta e Maldini", diz, referindo-se a companheiros mais experientes. No primeiro coletivo em que Parreira contou com toda a equipe, na sexta-feira, Kaká foi o destaque, ao marcar dois gols e ao brilhar em jogadas individuais. Sua atuação contrastou com a de parceiros no ataque. Ronaldo, que treinou pela primeira vez, não teve ?fome? de gols característica e perdeu chances fáceis. Rivaldo errou a maioria das jogadas que tentou. Mesmo assim, tem prestígio com Parreira. "Não vejo problema nenhum em colocar o Rivaldo junto com o Kaká", avisou o treinador. "Um avança pela esquerda e o outro pela direita." Com isso, deu uma cutucada elegante em Carlo Ancelotti, seu colega de Milan e que nunca escala os dois craques ao mesmo tempo. Leicester agitou-se com a presença do Brasil. Tanto que os 32 mil ingressos (preço médio de R$ 100) colocados à venda estão esgotados. "Estamos felizes de ver reunidas estas lendas vivas do futebol", elogiou Paul Mace, chefe de operações do Leicester City, o clube da cidade. A Jamaica também se empolgou com o amistoso. É a oportunidade dos "Reggae Boyz", como são conhecidos os atletas da seleção, enfrentarem pela terceira vez o Brasil (perderam uma e empataram outra, ambas em 1998). Desta vez, também poderão contar com suas estrelas, como Frank Sinclair, que atua no próprio Leicester City. O técnico Carl Brown declarou esta semana que será a partida mais importante da equipe no ano. Armou o time com cinco jogadores na defesa (5-3-2) . "O fato de atuarmos contra os campeões do mundo já serve para trazer o que há de melhor nos nossos jogadores", observou. "Todos jogarão o máximo que puderem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.