Seleção: poucos vão ter nova chance

O fracasso do Brasil na Copa das Confederações vai significar a despedida de alguns jogadores da seleção. Se o técnico Emerson Leão for mantido no cargo, ele convocará na quarta-feira, no Rio, um novo grupo para a disputa do jogo com o Uruguai, em 1 de julho, pelas eliminatórias do Mundial de 2002. Dos que viajaram para o Japão e Coréia do Sul, somente dois teriam presença certa na nova lista: a dupla de zaga formada por Lúcio e Edmílson. Como Leão insiste nos erros e é imprevisível, o meia Leomar também pode fazer parte da relação. Ele foi o pior jogador da seleção no torneio da Fifa. Outros que se saíram mal, como Leandro, Washington, Carlos Miguel e Léo, não devem ser incluídos. A expectativa fica em torno da convocação de Vampeta, o melhor entre os inscritos para a Copa das Confederações, mas que Leão preferiu deixar na reserva a maior parte do tempo. Apesar de mais uma vez ter falhado em momentos decisivos, o goleiro Dida tem boas chances de ser convocado. Além dos dois zagueiros, outro jogador merece fazer parte da nova lista: trata-se do meia Fábio Rochemback, de 19 anos, cujo passe foi negociado recentemente do Inter-RS para o Barcelona por US$ 12 milhões. Foi a única revelação do Brasil na Copa das Confederações. Críticas - Alguns jornais da Coréia do Sul criticaram na edição de hoje a campanha do Brasil. O Shinhan News, de Ulsan, publicou o seguinte título numa de suas páginas de Esportes: "O gigante está doente e seu estado é grave."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.