Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

'Seleção se desesperou depois do 1º gol', admite Renato Augusto

Meio-campista entrou no segundo tempo e marcou em derrota brasileira para a Bélgica

Estadão Conteúdo

06 Julho 2018 | 17h34

Autor do único gol da seleção brasileira na derrota para a Bélgica, o meia Renato Augusto admitiu que a equipe "se desesperou" em campo ao sair atrás no placar, nesta sexta-feira, em Kazan. Ao ser batido por 2 a 1, o Brasil foi eliminado da Copa do Mundo da Rússia nas quartas de final.

+ Seleção também caiu nesta mesma fase em 1954, 1982, 1986, 2006 e 2010

+ Um dos 'vilões' do 7 x 1, Fernandinho marca gol contra e decepciona mais uma vez

"Temos que estar preparados para tudo, para todas as situações, inclusive para começar o jogo perdendo. A gente se desesperou quando saiu o primeiro, por isso saiu o segundo. Depois ficou difícil para buscar o resultado, mas lutamos até o fim", disse o jogador, que entrou em campo aos 26 minutos do segundo tempo, em entrevista à TV Globo.

Apesar disso, Renato Augusto considerou que o Brasil fez por merecer o empate, após sair levando de 2 a 0. "É difícil dizer nesse momento [sobre as causas da derrota], logo após o jogo. Mas fizemos o possível para tentar empatar, tivemos oportunidades, comigo, com o Coutinho e com outros. Criamos. Mas infelizmente o gol não saiu. Um dia triste."

 

O meia, contudo, admitiu que o excesso de passes errados contribuiu para a derrota. "É natural, quando você está com um resultado adverso, você força um pouco mais os passes. E, por consequência disso, se comete um pouco mais de erros. Mas nossa seleção tentou, lutou até o final. Deixamos esta Copa de cabeça erguida porque demos o nosso máximo."

O zagueiro Miranda também atribuiu a eliminação aos erros neste fundamento. "Acho que é uma mistura de coisas, a Bélgica se fechou, você tem que forçar porque está perdendo o jogo. O erro é natural. Um passe decisivo para o gol, acho que pelo segundo tempo que fizemos... Mas a Bélgica teve os seus méritos também", ponderou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.