Seleção sofre com problemas de contusão

Foi uma sexta-feira conturbada para o técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira. Ele recebeu três notícias ruins ao longo do dia e teve de cortar, por contusão, dois jogadores convocados para a partida com o Paraguai, quarta-feira, em Assunção: o lateral Belletti, do Villarreal, e o meia Alex, do Cruzeiro. Convocou para a vaga deles Maicon, do Cruzeiro, e Felipe, do Flamengo, respectivamente. No final da tarde, um fax enviado pelo Lyon, da França, dava conta de que Juninho Pernambucano, com forte otite, não apresentava condições de atuar no fim de semana, pelo Campeonato Francês. O médico José Luís Runco, depois de contato com o atleta, sugeriu a Parreira a permanência do meia no grupo, com esperança de que ele possa se recuperar até a dia do jogo pelas Eliminatórias da Copa. A comissão técnica chegou a anunciar o seu corte, mas a informação foi corrigida rapidamente. O treinador já havia decidido não chamar ninguém para uma eventual ausência de Juninho Pernambucano, que não esteve na última partida do Brasil, num amistoso com a Irlanda, também por causa de contusão.O meia Alex não participará do jogo devido a uma contratura muscular. Belletti foi dispensado por estar com dores na perna esquerda. O prazo de recuperação dos dois é o mesmo, cerca de dez dias, de acordo com José Luís Runco. Na quinta-feira, Parreira já havia sido obrigado a cortar Kléberson, que sofreu torção de joelho - não chamou ninguém para o lugar do volante do Manchester United.Outra chance - Os jogadores do Flamengo deram um ?banho? de ovos e farinha em Felipe, assim que o grupo soube da convocação do colega, durante treinamento na Gávea. Depois, o meia deu entrevista e não escondeu a emoção por voltar à seleção, após três anos. Ele esteve no banco de reservas no jogo Brasil x Peru, em 2001, no Morumbi, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2002. Na oportunidade, o técnico da seleção era Emerson Leão."É uma sensação maravilhosa. Espero poder mostrar meu trabalho", disse Felipe, destaque do Campeonato Carioca. Ele, porém, reconheceu a dificuldade de fazer parte do elenco. "Tenho consciência disso. São muitos jogadores de alta qualidade técnica."

Agencia Estado,

26 de março de 2004 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.