Seleção Sub-23 embarca para o Chile

Durante o embarque da seleção sub-23 rumo ao Chile, na manhã desta sexta-feira, para a disputa do Torneio Pré-Olímpico, a partir do dia 7, o técnico Ricardo Gomes mandou um aviso à torcida: "esqueçam o futebol arte". Apesar da afirmação, o treinador disse estar tranqüilo e confiante em uma boa participação da equipe na competição. "Não vamos ficar pensando em futebol arte. Isso até pode acontecer por causa da habilidade dos jogadores, mas não é o que buscamos", disse Gomes, ao embarcar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, acompanhado por sua comissão técnica e o zagueiro Rodolfo. O restante da delegação se juntou ao grupo em São Paulo (à exceção do atacante Dagoberto, que perdeu o vôo em Curitiba e vai embarcar ainda esta sexta à tarde para Santiago). "Estamos indo em busca de uma vaga olímpica e temos um sonho (a conquista da medalha de ouro em Atenas)." Agora, o objetivo de Gomes é o de aproveitar os quatro dias de preparação em Concepción, local da primeira fase, para treinar jogadas ensaiadas, de bola parada e marcação sobre pressão. Amanhã e domingo, o time treina em tempo integral. Já na segunda e terça-feira as movimentações ficarão restritas à tarde, sendo que no último dia a equipe fará o reconhecimento do Estádio Municipal de Concepción, local da partida de estréia contra a Venezuela, dia 7. A princípio, Gomes rechaçou o favoritismo da seleção, mas reconheceu que a qualidade dos jogadores tornam a equipe uma das fortes candidatas à vaga. O bom desempenho do grupo nos dez dias de treinos na Granja Comary, em Teresópolis, serviram para o treinador confirmar a potencialidade do grupo. "Estou tranqüilo porque o grupo possui bastante qualidade e me mostrou que terei armas para enfrentar qualquer dificuldade", enfatizou o técnico da seleção sub-23. "Mesmo assim vou vigilante e atento porque sei que em toda a competição onde o Brasil estiver ele será o favorito. Mas devemos lembrar que futebol é jogado e não teoria." Gomes ainda considerou que o Brasil está em vantagem sobre os demais participantes, porque enquanto a seleção treinava na Graja Comary, os demais adversários "estavam convocando seus atletas". Mas a falta de informações sobre os oponentes ainda preocupa o treinador. "A Venezuela tivemos a sorte de vê-la em amistosos realizados ano passado no Brasil. Já o Paraguai (confronto do dia 9) só conheço um jogador", contou Gomes. "O Uruguai (dia 11) sabemos um pouco mais sobre os atletas, a defesa é praticamente a mesma que enfrentou o Brasil pelas Eliminatórias. E os donos da casa (dia 15) vão fazer três partidas antes de jogar contra nós, o que nos dará tempo para recolher informações." O Torneio Pré-Olímpico do Chile distribuirá duas vagas para Atenas a seus vencedores. Dez seleções participam da disputa e foram distribuídas em dois grupos: no A estão Brasil, Chile, Paraguai, Uruguai e Venezuela. Já o B é formado por Argentina, Colômbia, Bolívia, Equador e Peru. Os primeiros lugares de cada chave asseguram uma vaga no quadrangular final. Os segundos e terceiros lugares disputam uma repescagem e os dois melhores se integram aos demais classificados.

Agencia Estado,

02 de janeiro de 2004 | 11h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.