Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF
Imagem Robson Morelli
Colunista
Robson Morelli
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Tite falta com respeito a Danilo e ao Palmeiras ao convocar o garoto e não colocá-lo para jogar

Não se tem notícia de que o volante esteja machucado ou com algum impedimento para atuar nos dois amistosos, contra Coreia do Sul (5 a 1) e Japão (1 a 0)

Robson Morelli, O Estado de S.Paulo

06 de junho de 2022 | 09h56

O teste do Brasil com o Japão foi ruim. Neymar fez o único gol do jogo, o seu 74º na seleção, na vitória de 1 a 0. Esse poderia ser o resumo do jogo, no segundo amistoso da equipe depois das Eliminatórias. O time está invicto desde a decisão da Copa América diante da Argentina, no Rio. Tite fez uma série de trocas só para fazer com que os jogadores entrassem em campo. Teve jogador que entrou aos 40 minutos do segundo tempo. Fez seis alterações e não colocou o garoto Danilo, do Palmeiras, para jogar. Errou feio. Faltou com o respeito ao atleta e ao Palmeiras. O time paulista poderia ter tido melhor sorte com seu jogador no empate com o Atlético-MG. E Danilo deveria ter atuado alguns minutos.

Se Tite não tiver uma boa explicação (não se tem notícia de que o jogador esteja machucado ou com algum problema), ele falha e deixa claro que sua convovação foi mais para dar uma resposta pelas cobranças. Sem jogar na seleção, dificilmente Danilo vai para a Copa do Mundo do Catar.  

Não fosse o gol de Neymar, a seleção não teria mostrado nada de interessante. O jogo foi ruim e isso nada tem a ver com a força do Japão. O anfitrião marca bem e tem uma determinação tática forte, corre onde a bola está e se propôs a ficar atrás, a não se expor. O Brasil sofreu para furar uma defesa fechada, de baixa qualidade técnica e com todos os seus atletas atrás. Teve, mais uma vez, muito dribles dentro da área, sem sucesso.

Faltaram chutes de fora, jogadas mais abertas, inteligência para conseguir os espaços. Houve muita individualidade. Talvez tenha sido pior do que o jogo anterior contra a Coreia do Sul, dada a fragilidade do adversário. Não entendo a necessidade também de colocar em campo todos os jogadores que Tite já conhece e não dar oportunidade para quem precisa aparecer mais, como Danilo. O Palmeirasd não pode se recusar a entregar seus atletas para a seleção, nem os jogadores querem isso. Mas Tite mereceria isso.

Neymar jogou em outra função, mais armador e mais livre. Menos fora da área, menos de falso 9. De resto, o jogo não serviu para muita coisa. Nem para convencer o torcedor nem para dar alegria aos brasileiros. O Brasil tem ainda um jogo contra a Argentina, aquele das Eliminatórias. E nada mais marcado. Em setembro, a CBF vai marcar novos jogos, os últimos antes da Copa do Catar. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.