Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Seleção vai em busca de novidades para ter 'ritmista' em amistosos

Perto de última convocação antes da Copa, Tite avalia opções para incrementar a equipe e abre os olhos para futebol nacional

Ciro Campos, Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

10 Março 2018 | 17h00

O técnico Tite faz nesta segunda-feira a última convocação antes de anunciar a lista dos 23 jogadores que irão representar o Brasil na Copa do Mundo. O treinador já avisou que o grupo que será levado para os amistosos diante de Rússia e Alemanha este mês deverá ter poucas novidades, já que pelo menos 16 jogadores estão garantidos no Mundial. Dentre as vagas remanescentes, Tite busca um "ritmista" para o meio campo – e cinco jogadores surgem como opção.

+ Tabela da Copa do Mundo de 2018

+ Leia mais notícias sobre a Copa da Rússia

Dentre os nomes estão atletas que Tite comandou em seus clubes e outros que ele já treinou na própria seleção, mas que foram irregulares nos últimos 20 meses.

Lucas Lima é um deles. O meia se fortaleceu no radar da seleção brasileira pelo começo positivo no Palmeiras. A motivação dele para essa candidatura à Copa foi, inicialmente, o objetivo de convencer a torcida do novo clube. O ex-santista vinha de um histórico de provocações ao time alviverde e desde o começo do ano, procurou mostrar serviço. O empenho tem dado certo. Lucas Lima é o líder de assistências do Palmeiras no ano, com quatro.

Durante a negociação para vir ao Palmeiras, o estafe do meia avaliou com atenção o quanto a transferência ajudaria o jogador a voltar à seleção. "É um ano de Copa e eu creio que o Palmeiras me deixa mais perto disso", disse o jogador.

O meia já foi convocado por Tite nas Eliminatórias e pode ter como ponto favorável o fato de o clube atuar em um esquema tático igual ao da seleção. No 4-1-4-1 de Roger, Lucas Lima tem se mostrado ativo para ajudar à marcação, assim como para municiar o ataque.

No rival do Palmeiras, o conhecimento do técnico da seleção sobre os jogadores com quem trabalhou no passado pode ajudar. O meia Jadson foi fundamental na equipe dirigida por Tite que ganhou o Brasileiro de 2015 e neste ano é um dos líderes de assistências, com três.

"O Tite está fazendo um ótimo trabalho e sei que uma possível convocação vai depender muito do momento do Corinthians e de como eu estarei jogando. Futebol vale muito o momento e sei que o Tite vai levar isso em consideração", disse o jogador ao Estado.

O colega dele de time, Rodriguinho, é outro fortemente cotado. O meia é o artilheiro do Corinthians na temporada, com quatro gols. Além disso, a relação com Tite é boa, pois graças ao treinador o jogador ganhou confiança e se transformou de aposta em um dos atletas principais do clube.

"Disputar uma Copa seria algo incrível e é claro que eu sonho com isso, mas sei também que preciso estar bem no Corinthians para poder ser lembrado pelo Tite. Então, tenho que focar no meu trabalho aqui no clube", comentou Rodriguinho.

O técnico também gosta muito de Diego, do Flamengo. O meia ainda não teve chance para mostrar serviço. Na última rodada das Eliminatórias, por exemplo, foi cortado horas depois de se apresentar devido a uma lesão na coxa.

Diego não esconde a ansiedade. "Minha primeira convocação foi com 17 anos. De lá para cá, sempre sonho em disputar uma Copa. Tenho vivido essa possibilidade. Acredito muito", disse o meia de 33 anos ao SporTV. "Ser convocado é uma motivação extra. Não tem um dia que não penso na seleção."

Outro jogador por quem Tite nutre admiração desde os tempos de Inter é Giuliano, atualmente no Fenerbahçe. O jogador vive bom momento na Turquia, mas ficou fora da última rodada das Eliminatórias, porém voltou à lista nos amistosos em novembro. "É uma vaga muito concorrida, cada um buscando seu espaço. São grandes jogadores brigando por essas posições", disse, na ocasião. / COLABOROU DANIEL BATISTA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

Seleção adia lista para contar com 'contundidos'

Lista do técnico Tite para amistosos deve ter jogadores que estavam até pouco tempo fora de atividade

Ciro Campos, Marcio Dolzan, O Estado de S. Paulo

10 Março 2018 | 17h00

Marcada para às 11h de segunda-feira, na sede da CBF, a convocação para os amistosos diante de Rússia e Alemanha acontece apenas seis dias antes da apresentação dos jogadores, algo incomum desde que Tite assumiu a seleção, no segundo semestre de 2016. A única vez em que lista foi divulgada com menos de uma semana para o grupo se apresentar foi em janeiro do ano passado.

+ Notícias da Copa do Mundo da Rússia

+ Tabela da Copa do Mundo de 2018

Na ocasião, porém, Tite chamou apenas jogadores que atuavam no País para o amistoso com a Colômbia, no Engenhão, em jogo beneficente destinado a ajudar familiares de vítimas do voo da Chapecoense.

Desta vez, o prazo mais enxuto passou por uma necessidade técnica. Com seis jogadores se recuperando de lesão, Tite pediu dez dias a mais – a convocação seria dia 2 de março – na esperança de poder contar com todos eles nos amistosos. Ficou sem Neymar, que acabou passando por cirurgia no pé direito, mas o prazo extra garantiu a certeza da recuperação dos zagueiros Marquinhos e Miranda, do lateral-esquerdo Marcelo e do atacante Gabriel Jesus. Fernandinho, em fase final de recuperação de lesão muscular, também deverá ser chamado.

A escolha de Rússia e Alemanha para os dos últimos amistosos antes da lista de convocados para a Copa do Mundo passou por um desejo de Tite em se livrar de dois pesos. Jogar contra o anfitrião do Mundial em um estádio que será utilizado na Copa é, na visão do técnico, uma forma de antecipar o ambiente que os jogadores terão pela frente em junho. 

Já o duelo com a Alemanha é uma tentativa de afastar a lembrança dos 7 a 1 em 2014. "Se tiver de enfrentar na Copa, não vou ter de responder sobre isso tantas e tantas vezes", disse Tite, em entrevista recente ao Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.