Seleções de Itália e França voltam a se encontrar depois de 4 anos

ROMA/PARIS - Duas das mais importantes seleções do futebol mundial, Itália e França, voltarão a se enfrentar nesta quarta-feira, em amistoso realizado no Estádio Ennio Tardini, em Parma, a última exibição da dupla neste ano.

EFE

13 de novembro de 2012 | 11h59

A "Azzurra" deve apresentar novidades ofensivas - o setor mais criticado do time - principalmente com a escalação de Stephan El Shaarawy, que vem brilhando na temporada no Milan. Os "Bleus"', por sua vez, querem manter o astral elevado após o empate arrancado contra a Espanha, em pleno estádio Vicente Calderón, em Madri.

O último encontro entre as duas seleções aconteceu no dia 17 de junho de 2008, em Zurique, na Suíça, pela primeira fase da Eurocopa. Os italianos venceram por 2 a 0, com gols de Andrea Pirlo e Daniele De Rossi, placar que selou sua classificação para as quartas de final da competição e ainda valeu a eliminação dos rivais.

Os números gerais do confronto entre italianos e franceses também é favorável aos tricampeões mundiais. Segundo a Fifa, em 34 jogos, são 17 vitórias da Itália, sete da França e 10 empates. A 'Azzurra' marcou 74 gols, enquanto os "Bleus" balançaram as redes 42 vezes.

Liderando o grupo B das Eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2014, a equipe do técnico Cesare Prandelli, vai para a partida consciente de que precisa de testes mais sólidos. Até agora, a Itália venceu Malta, Armênia e Dinamarca e empatou com a Bulgária, pelo torneio qualificatório.

Nas quatro partidas foram 10 gols, sempre com mudanças no ataque. Mario Balotelli, Pablo Osvaldo e Sebastian Giovinco, foram testados como titulares. Mattia Destro, Giampaolo Pazzini, Lorenzo Insigne e Stephan El Shaarawy também foram utilizados no decorrer dos jogos. Agora, o 'Faraó', como o jovem milanista de 20 anos é apelidado, deve ter chance de começar jogando.

Ao lado de El Shaarawy deve estar Mario Balotelli, que Prandelli pretende utilizar por 90 minutos, para tentar manter a boa fase do jogador com a camisa italiana. Na vitória por 3 a 1 sobre a Dinamarca, o atacante do Manchester City teve boa atuação, marcando o terceiro gol italiano.

Na convocação para a partida desta quarta-feira, o técnico da seleção da Itália anunciou duas novidades: o retorno do zagueiro Davide Astori, do Cagliari, e do lateral Davide Santon, do Newcastle, que não eram chamados desde 2011.

Em território italiano, os franceses querem reviver o que se chamou de "espírito de Madri", após o 1 a 1, com direito a gol aos 49 minutos do segundo tempo, feito por Olivier Giroud. Com o resultado, as duas seleções permaneceram dividindo a liderança do grupo I das Eliminatórias, com sete pontos, a frente de Geórgia, Belarus e Finlândia.

O principal desfalque da lista de convocados da seleção francesa é o lateral-esquerdo Gaël Clichy, que foi cortado após se contundir no fim de semana em partida do Manchester City. Para repor a perda, o técnico Didier Deschamps chamou Benoît Trémoulinas, do Bordeaux. O atacante Karim Benzema , do Real Madrid, também não vai para o jogo, por lesão.

Antes, no dia do anúncio oficial da relação para o jogo, a grande novidade foi a presença do meia Yohan Gourcuff, também do Bordeaux. O atleta vinha ficando de fora da seleção devido a problemas físicos e deve ser testado contra os italianos.

Prováveis escalações:.

Itália: Buffon; Maggio, Barzagli, Chiellini e Peluso; Marchisio, Pirlo, Giaccherini e Montolivo; Balotelli e El Shaarawy. Técnico: Cesare Prandelli.

França: Lloris; Debuchy, Yanga-Mbiwa, Sakho e Evra; Cabaye, Capoue, Matuidi e Ménez; Ribéry e Giroud. Técnico: Didier Deschamps.

Árbitro: Alberto Undiano Mallenco (Espanha).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.