Sem acordo com Arce, Daniel é a opção

Os jogadores do Palmeiras mudaram um hábito de três anos. Em vez de procurar desesperadamente a lateral direita quando dominam a bola, o caminho agora é mais difícil: forçar pelo meio. Evitam o quanto podem olhar para o lado do campo. "Não posso pedir para cada jogador ter mais confiança em mim. Corro e grito pedindo a bola. Mas ela não chega", diz, cabisbaixo, Daniel.O motivo é simples: o time sente uma crônica falta do paraguaio Arce. O jogador de 29 anos está sem contrato com o Palmeiras há dois meses. Depois de 180 partidas, 33 gols e de o treinador Marco Aurélio implorar pela renovação de contrato, o presidente Mustafá Contursi se dignou a marcar uma reunião de cinco minutos com o jogador. E ofereceu menos do que recebia em 2000.Leia matéria completa no JT

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.