Ana Luiza Rosa/saopaulofc.net
Ana Luiza Rosa/saopaulofc.net

Sem meias de ofício, Ricardo Gomes procura novo esquema de jogo ao São Paulo

Carência no setor de criação obriga treinador a buscar alternativas de jogo; nesta quarta-feira, time encara o Juventude, pela Copa do Brasil

Estadão Conteúdo, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2016 | 07h00

O desafio do técnico Ricardo Gomes para os próximos jogos do São Paulo é encontrar uma forma de atuar que não dependa de um meia de ligação, posição carente no elenco. Após a saída de Ganso, negociado com o Sevilla, o jovem Lucas Fernandes é o único capaz de desempenhar essa função. O problema, porém, é que o atleta se recupera de uma cirurgia no ligamento cruzado do joelho direito e retorna aos gramados apenas em 2017.

Diante desse quadro, o treinador quebra a cabeça para, já contra o Juventude, nesta quarta-feira, às 21h45, no Morumbi, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, encontrar uma forma de a equipe suprir a carência no setor.

"A ausência de um jogador nessa posição não é problema só do São Paulo. O Ganso não volta. É difícil você achar um jogador com esse estilo no futebol brasileiro. Por isso, precisamos encontrar uma maneira diferente de jogar", explica o treinador são-paulino.

Por enquanto, o peruano Cueva é quem tem quebrado o galho pelo setor. Apesar dos quatro gols marcados no Campeonato Brasileiro e de se colocar à disposição para atuar em qualquer posição do setor ofensivo, o jogador não é um armador de ofício.

Contra o time de Caxias do Sul,  na quarta-feira, Ricardo Gomes contará com a volta do volante Thiago Mendes, que cumpriu suspensão no empate diante do Internacional, no último domingo. Assim, ganha mais uma opção para preencher o meio de campo. Poderá compor o meio de campo com João Schmidt, Hudson, Thiago Mendes, tendo Cueva e Kelvin abertos, e Chávez centralizado na frente. Ou, ainda, aproveitar Michel Bastos, que não vive bom momento.

Em sua apresentação, Ricardo Gomes deu o prazo de 20 dias para definir o São Paulo buscará no Campeonato Brasileiro. Neste período, ele espera encontrar uma nova maneira de o time atuar, que não dependa de um meia de criação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.