Ivan Storti/Santos
Ivan Storti/Santos

Sem atuar desde março, Cléber Reis deixa a Ponte e é devolvido ao Santos

Zagueiro chegou a atuar pelo time B na Copa Paulista; agora, segue fora dos planos de Cuca

Redação, Estadão Conteúdo

10 de dezembro de 2020 | 18h41

O zagueiro Cléber Reis, ainda sob contrato com o Santos até 2022, deixou a Ponte Preta nesta quinta-feira, último dia do seu vínculo de empréstimo. O ex-jogador do Corinthians não vinha sendo aproveitado na Série B do Campeonato Brasileiro.

Sem atuar desde março, no início da pandemia da covid-19, Cléber Reis fez só cinco jogos em 2020. Essa foi a segunda passagem do defensor pelo time de Campinas. Ao todo, o zagueiro soma 40 duelos, contando com os compromissos disputados em 2012 e 2013, e quatro gols. Aos 30 anos, Cléber Reis tem contrato com o Santos, mas não está nos planos do técnico Cuca.

Além do zagueiro, o jovem Vânder também teve seu contrato encerrado. O volante tem 22 anos e pertence ao Tombense. Ele atuou pela Ponte Preta por apenas 13 minutos e chegou a disputar quatro jogos na Copa Paulista pelo time B do clube.

Sem os dois, a Ponte Preta se prepara para fazer um duelo de times pressionados com o Avaí no Moisés Lucarelli, em Campinas, nesta sexta-feira, às 19h15. Derrotada pelo vice-lanterna Botafogo-SP, por 2 a 1, em seu compromisso anterior, a Ponte Preta estacionou nos 40 pontos, na oitava colocação.

Em relação ao time, o zagueiro Ruan Renato recebeu o terceiro cartão amarelo na rodada passada e será desfalque. Alisson ficará com a vaga, uma vez que Luizão e Rayan se recuperam fisicamente. A boa notícia fica por conta do atacante Bruno Rodrigues, que testou negativo para a covid-19.

Assim, Bruno Rodrigues voltará ao ataque e Apodi, que jogou improvisado na frente, ficará na lateral direita no lugar de Léo Pereira. Marcelo Oliveira ainda cogita colocar Luís Oyama e Moisés nas vagas de Dawhan e Pato, respectivamente.

A Ponte Preta deve entrar em campo nesta sexta-feira com: Ygor Vinhas; Apodi, Wellington Carvalho, Alisson e Guilherme Lazaroni; Dawhan (Luís Oyama), Neto Moura e Camilo; Bruno Rodrigues, Guilherme Pato (Moisés) e João Veras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.