Sem Barcos ao lado, Obina espera melhor desempenho

Sem Barcos, que está com a seleção argentina, o Palmeiras deve ter Obina como titular diante do Sport, nesta quinta-feira, no Pacaembu, pela 22.ª rodada do Campeonato Brasileiro. E o atacante não escondeu sua preferência por atuar como único homem de área da equipe e comemorou a oportunidade.

DANIEL AKSTEIN BATISTA, Agência Estado

04 de setembro de 2012 | 16h01

Das últimas vezes que foi titular, Obina teve ao seu lado justamente Barcos, o que fez com que ele precisasse mudar suas características, atuando mais como segundo atacante. "Acho que sem o Barcos vai melhorar no meu desempenho, sim. Com ele, tenho que sair um pouco da área, sem, jogo mais próximo da área, mais perto do gol", avaliou.

A análise de Obina tem como base sua melhor atuação neste retorno ao Palmeiras, quando substituiu Barcos (na época com problemas físicos), marcou um gol e participou dos outros dois da vitória por 3 a 0 diante do Náutico. Foi seu único gol nesta passagem pelo clube e o próprio jogador admitiu que esperava melhores atuações. "Está sendo mais difícil. O que eu esperava era mais gol e com o time lá em cima".

A fase do atacante coincide com o péssimo momento vivido pelo Palmeiras, que está na zona de rebaixamento, com apenas 17 pontos, e já não vence há quatro partidas. O clima contrasta com o de dois meses atrás, quando o clube paulista sagrou-se campeão da Copa do Brasil, ainda sem Obina, que chegaria dias depois.

"Agora é um clima mais de preocupação, não é um grupo sorrindo o tempo todo, com aquela alegria de quem tinha acabado de ser campeão. Falar dessa situação de zona de rebaixamento é sempre chato, mas temos que mostrar o quanto todos querem sair desta situação", comentou o atacante.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoPalmeirasObina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.